Influência das características anatômicas e do teor de extrativos totais da madeira de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden na qualidade da colagem

Vanessa Cristina do Sacramento Albino, Fábio Akira Mori, Lourival Marin Mendes

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/198050987561

O trabalho teve como objetivo caracterizar anatomicamente e quantificar os extrativos totais em diferentes posições de toras de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden com 18 anos de idade e avaliar a influência dessas características sobre a resistência ao cisalhamento e percentagem de falhas na madeira de juntas coladas com adesivo termoendurecedor resorcinol-formaldeído. Foram preparadas lâminas histológicas para o estudo anatômico e determinou-se o teor de extrativos totais. A preparação das juntas coladas foi feita de acordo com a norma ASTM D 2339-98(2000). Utilizou-se o coeficiente de correlação de Pearson, a 1 % de probabilidade pelo teste t de Student, para avaliar as correlações existentes entre as características anatômicas e teor de extrativos com a qualidade das juntas coladas. Verificou-se que houve correlação entre resistência ao cisalhamento com as seguintes características: diâmetro do vaso, espessura da parede, largura e comprimento da fibra, largura do raio e teor de extrativos totais. E, em relação à percentagem de falhas na madeira, houve correlação entre esta com as seguintes características: frequência de vasos, espessura do lume da fibra, frequência e altura do raio. Tanto no sentido radial quanto no sentido longitudinal das toras, houve variação dos valores encontrados para a mensuração dos elementos anatômicos, quantidade de extrativos totais, resistência ao cisalhamento e percentagem de falhas na madeira.

Palavras-chave


anatomia da madeira; teor de extrativos; qualidade da colagem

Texto completo:

PDF

Referências


AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. Annual book of ASTM standards: adhesives. Philadelphia, 1994. 600 p. D-3110. Standard specification for adhesives used in nonstructural glued lumber products.

AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. Annual book of ASTM standards: adhesives. Philadelphia, 2000. 600 p. D2339-98. Standard test method for strength properties of adhesives in two-ply wood construction in shear by tension loading.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRODUTORES DE FLORESTAS PLANTADAS. Anuário estatístico da ABRAF: ano base 2008. Brasília: ABRAF, 2009. 120 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA TÉCNICA DE CELULOSE E PAPEL. Métodos de ensaio. São Paulo: ABTCP, 1974. 18 p.

BURGER, M. L.; RICHTER, H. G. Anatomia da madeira. São Paulo: Nobel, 1991. 224 p.

DELLA LUCIA, R. M.; VITAL, B. R. Avaliação da qualidade de juntas coladas de madeira de três espécies de Eucalyptus. Árvore, Viçosa, v. 5, n. 2, p. 172-180, 1981.

DELLA LUCIA, R. M.; VITAL, B. R. Ensaio de adesão das madeiras de Eucalyptus gummifera, E. paniculata e E. resinifera. Árvore, Viçosa, v. 13, n. 1, p. 98-106, 1989.

FAMER, R. M. Handbook of hardwoods. London: Her Majesty’s Stationery Office, 1972. 244 p.

FOREST PRODUCTS LABORATORY. Wood handbook: wood as an engineering material. Madison, WI: U.S. Department of Agriculture - Forest Service - Forest Products Laboratory, 1999.

FRANKLIN, G. L. Preparation of thin sections of synthetic resins and wood- resin composites, and a new macerating method for wood. Nature, London, v. 155, n. 3924, p. 51, 1945.

INTERNATIONAL ASSOCIATION OF WOOD ANATOMISTS. List of microscopic features for hardwood identification. IAWA Bulletin, Leiden, v. 10, n. 3, p. 219-332, 1989.

IWAKIRI, S. (Ed.). Painéis de madeira reconstituída. Curitiba: FUPEF, 2005. 247 p.

LIMA, C. K. P. et al. Características anatômicas e químicas da madeira de clones de Eucalyptus e sua influência na colagem. Cerne, Lavras, v. 13, n. 2, p. 123-129, 2007.

LIMA, C. K. P. et. al. Colagem da madeira de clones de Eucalyptus com três adesivos comerciais. Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 36, n. 77, p. 73-77, mar. 2008.

LOBÃO, M. S.; GOMES, A. Qualidade da adesão de madeira de eucalipto em corpos-de-prova colados em dois diferentes planos e densidades. Cerne, Lavras, v. 12, n. 2, p. 194-200, abr./jun. 2006.

MARRA, A. A. Technology of wood bonding: principles and practice. New York: Van Nostrand Reinhold, 1992. 453 p.

NASCIMENTO, A. M.; DELLA LUCCIA, R. M.; VITAL, B. R. Colagem de emendas biseladas em madeiras de Pinus spp. e Eucalyptus citriodora. Floresta e Ambiente, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, p. 44-51, 2001.

SERPA, P. N. Avaliação da madeira de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden, Eucalyptus saligna Smith e Pinus elliottii Engelm. para a produção de móveis. 2001. 82 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2001.

SILVA, J. C. et al. Influência da idade e da posição ao longo do tronco na composição química da madeira de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden. Árvore, Viçosa, v. 29, n. 3, p. 455-460, 2005.

SKEIST, I. Handbook of adhesives. New York: Van Nostrand Reinhold, 1990. 778 p.

TOMAZELLO FILHO, M. Estrutura anatômica da madeira de oito espécies de eucalipto cultivadas no Brasil. IPEF, Piracicaba, v. 29, n. 29, p. 25-36, abr. 1985.

TRUGILHO, P. F.; LIMA, J. T.; MORI, F. A. Correlação canônica das características químicas e físicas da madeira de clones de Eucalyptus grandis e Eucalyptus saligna. Cerne, Lavras, v. 9, n. 1, p. 066-080, 2003.

VITAL, B. R.; MACIEL, A. S.; DELLA LUCIA, R. M. Qualidade de juntas coladas com lâminas de madeira oriundas de três regiões do tronco de Eucalyptus grandis, Eucalyptus saligna e Pinus elliottii. Árvore, Viçosa, v. 30, n. 4, p. 637-644, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050987561