Sazonalidade do incremento em diâmetro do tronco de árvores de Eucalyptus grandis pelo uso de dendrômetros

Carlos Roberto Sette Junior, Mario Tomazello Filho, José Luis Lousada, Jean Paul Laclau

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/198050987557

O presente trabalho teve como objetivo avaliar a sazonalidade do incremento em diâmetro do tronco de árvores de Eucalyptus grandis e sua relação com as variáveis climáticas e de fertilização nitrogenada e com lodo de esgoto. As árvores foram plantadas no espaçamento de 3 x 2 m e fertilizadas com nitrogênio (plantio, 6, 12, 18 meses) e lodo de esgoto (plantio e 8 meses), sendo selecionadas 20 árvores de eucalipto por tratamento, de acordo com a distribuição de área basal do povoamento, instalados dendrômetros de aço no DAP e mensurado o incremento em diâmetro de fevereiro/2006 a fevereiro/2008. Os resultados permitem concluir que houve efeito das variáveis climáticas na sazonalidade do incremento em diâmetro do tronco das árvores de eucalipto, sendo observado um período de defasagem (lag) de 28 dias para a resposta das árvores em relação às variáveis climáticas. Com relação ao efeito da fertilização, determinou-se que o incremento em diâmetro do tronco foi maior nas árvores de eucalipto com tratamento de lodo de esgoto em relação à adubação mineral com nitrogênio.

Palavras-chave


dendrômetros; eucalipto; fertilização; sazonalidade climática

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, N. F.; NOVAIS, R. F; NEVES, J. C. L. Fertilização e Correção do solo para o plantio de Eucalipto. In: BARROS, N. F.; NOVAIS, R. F.; NEVES, J. C. L., (Ed). Relação Solo-Eucalipto. Viçosa, Ed. Folha de Viçosa, 1990, p.127-186.

BOTOSSO, P. C.; TOMAZELLO FILHO, M. Aplicação de faixas dendrométricas na dendrocronologia: avaliação da taxa e do ritmo de crescimento do tronco de árvores tropicais e subtropicais. In: MAIA, N. B.; MARTOS, H. L.; BARRELLA, W. Indicadores ambientais: conceitos e aplicações. São Paulo: EDUC, 2001. Cap.7, p.145-171.

DÉTIENNE, P. et al. Rythmes de croissance de quelques essences de Guyane Français. Bois et Forêts dês Tropiques, Nogent-sur-Marne, v. 217, p. 63-76, jul./set.1988.

DOWNES, G. M. et al. The commercial cambium: understanding the origin of wood property variation In: SAVIDGE, R. A. et al. Cell and Molecular Biology of Wood Formation. Oxford: BIOS Sci, 2000. p. 325–336.

DOWNES, M. et al. Sampling plantation Eucalyptus – for wood and fibre properties. Australia: CSIRO, 1997.

GONÇALVES, J. L. M. et al. Soil and stand management for short-rotation plantations In: NAMBIAR, E. K. S., BROWN, A. G. (Ed.). Management of Soil, Water, and Nutrients in Tropical Plantation Forests. Canberra 1997, p. 379–418. (Aciar, Monograph, 43).

GONÇALVES, J. L. M., MENDES, K. C. F. S.; SASAKI, C. M. Mineralização de nitrogênio em ecossistemas florestais naturais e implantados do estado de São Paulo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 25, p.601–616, 2001.

GREEN, J. W. Continuous measurements of radial variation in Eucalyptus panciflora Sieb. Ex. Spreng. Australian Journal of Botany, Australia, v. 17, p. 191-198, feb. 1969.

LACLAU, J. P. et al. Nutrient cycling in a clonal stand of Eucalyptus and an adjacent savana ecosystem in Congo: chemical composition of rainfall, troughfall and stemflow solutions. Forest Ecology and Management, Amsterdam, v.176, n.1/3, p.105-119, mar. 2003.

LACLAU, J. P. et al. Processos de transferência e balanço de água e de nutrientes em povoamentos de Eucalyptus sp que receberam aplicações de nitrogênio e de biossólido: reflexos sobre a sustentabilidade. 2007. 65p. Relatório apresentado a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – FAPESP

MACNAB, W. H.; BERY, C. R. Distribution of aboveground in three pine species planted on a devasted site amended with sewage sludge or inorganic fertilizer. Forest Science, Bethesda, v. 31, n. 2, p. 373-382, 1985.

MARIAUX, A. Les cernes dans les bois tropicaux Africains, nature et pi.riodiciti.. Bois For & Trop. Nogent-sur-Marne, v. 113, p. 23-37, 1967.

MARIAUX, A. La périodicité de formation des cernes dans le bois de I´Oukoume. Bois et Forêts dês Tropiques, Nogent-sur-Marne, v.131, p.37-50, 1970.

MARIAUX, A. La périodicité des cernes dans les bois de limba. Bois et Forêts dês Tropiques, Nogent-sur-Marne, v.128, p.39-53, 1969.

MARIEN, J. N.; THIBOUT, H. Les Eucalyptus en France: rythmes de croissance en fonction des conditions climatiques. Recherches Sylvicoles. Paris, p. 273-299. 1980.

NOVAIS, R. F.; BARROS, N. F.; NEVES, J. C. L. Interpretação de análise química do solo para o crescimento e desenvolvimento do Eucalyptus spp.: Níveis críticos de implantação e manutenção. Revista Árvore, Viçosa, v. 10, n. 1, p. 105-111, 1986.

PEREIRA, J. S. et al. Seasonal and diurnal patterns in leaf gas exchange of Eucalyptus globulus trees growing in Portugal. Canadian Journal Forest Resource. v. 16, p.177-184, jan./abr. 1986.

POGGIANI, F.; GUEDES, M. C.; BENEDETTI, V. Aplicabilidade de biossólido em plantações florestais: I. reflexo no ciclo dos nutrientes. In: BETTIOL, W.; CAMARGO, O. A. (Ed.). Impacto ambiental do uso agrícola do lodo de esgoto. Jaguariúna: EMBRAPA Meio Ambiente, 2000. cap. 8, p. 163-178.

POGGIANI, F.; SILVA, P. H. M. Biossólido aumenta produtividade de eucaliptos. Revista Visão Agrícola, Piracicaba, n. 4, p. 105-107, dez. 2005.

POOLE, D. J. Diameter growth of 4-7 year old Eucalyptus regnans. N. Z. Forestry, Nova Zelandia, v. 31, n.1, p. 23-24, 1986.

ROCHA, F. T. et al. Variação da estrutura anatômica da madeira de Eucalyptus grandis aos sete anos de idade. In: ENCONTRO EM MADEIRA E EM ESTRUTURA DA MADEIRA, 7., 2002, Uberlândia. Anais... Uberlândia: 2002. p.1-10.

SETTE JR, C. R. et al. Crescimento em diâmetro do tronco das árvores de Eucalyptus grandis W. HILL. Ex. MAIDEN e relação com as variáveis climáticas e fertilização mineral. Revista Árvore. v. 34, n. 6, 2010.

SOUZA VAZ, L. Crescimento inicial, fertilidade do solo e nutrição de um povoamento de Eucalyptus grandis fertilizado com biossólido. 2000. 41 f. Dissertação (Mestrado em Ciências – Ciências Florestais) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2000.

VALENZIANO, S.; SCARAMUZZI, G. Preliminary observations on the seasonal diameter growth of Eucalyptus camaldulensis and E. viminalis. In: WORLD SYMPOSIUM ON MAN-MADE FORESTS AND THEIR INDUSTRIAL IMPORTANCE, 1967, Canberra. Anais… Canberra: Wood and Agriculture Organization of the United Nations, 1967. p.1923-1933.

WIMMER, R. High-resolution analysis of radial growth and wood density in Eucalyptus nitens, grown under different irrigation regimes. Annales Forest Sciences, França, v.59, n. 5-6, p.519-524, jul/oct 2002b

WIMMER, R.; DOWNES G. M.; EVANS, R. Temporal variation of microfibril angle in Eucalyptus nitens grown in different irrigation regimes. Tree Physiology, Canada, v.22, n.7, p. 449-457, May 2002a.




DOI: https://doi.org/10.5902/198050987557

Licença Creative Commons