Comportamento fisiológico de sementes de Myracrodruon urundeuva Fr. All. (Anacardiaceae) submetidas a fatores abióticos

Ivana Oliveira Virgens, Renato Delmondez de Castro, Luzimar Gonzaga Fernandez, Claudinéia Regina Pelacani

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/198050987550

O objetivo deste trabalho foi avaliar o comportamento germinativo de sementes de Myracrodruon urundeuva sob diferentes temperaturas e potenciais hídricos, a combinação destes, assim como a viabilidade das sementes após condicionamento osmótico. Os ensaios foram conduzidos em delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições de 50 sementes/tratamento. Foram testadas as temperaturas constantes de 20, 25, 30, 33, 35 e 40 ºC, com as sementes embebidas em água destilada. Em outro ensaio, testou-se os potenciais osmóticos de 0,0 (testemunha); -0,2; -0,4; -0,6; -0,7; -0,8; -0,9; -1,0 e -1,2 MPa, utilizando-se soluções de PEG (6000). A partir desses ensaios estabeleceram-se as temperaturas e os potenciais osmóticos de máxima germinação (temperatura e potencial ótimo), o de 50 % e a de germinabilidade nula. Ao final do ensaio de screening hídrico foi realizada uma averiguação da capacidade germinativa das sementes não germinadas nos potenciais osmótico onde a germinabilidade foi nula. Também foram combinados diferentes temperaturas com diferentes potenciais osmóticos. As sementes de Myracrodruon urundeuva iniciam a germinação em dois dias. Na temperatura de 25 ºC foi obtida a germinação máxima para as sementes da espécie, na de 33 ºC 50 % das sementes germinaram e na de 40 ºC, a germinabilidade foi nula. Com relação à restrição hídrica induzida, -0,2 MPa foi o potencial ótimo de germinabilidade, -0,7 MPa o potencial de 50 % de germinação e a partir de -0,9 Mpa a germinabilidade foi nula. Os potenciais osmóticos de -0,9; -1,0 e -1,2 MPa, podem ser utilizados para condicionamento osmótico desta espécie. As sementes de Myracrodruon urundeuva não toleram os estresses de altas temperaturas e diminuição dos potenciais osmóticos, concomitantemente, uma vez que reduzem a germinabilidade e o vigor das sementes.

Palavras-chave


aroeira-do-sertão; screening térmico; screening hídrico

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, C. G. C. Caesalpinia pyramidalis Tul. (Leguminosae-Caesalpinioideae): Longevidade, Caracterização Fisiológica da Germinação de Sementes e Crescimento Inicial. 2008. 94 f. Dissertação (Mestrado em Botânica). Feira de Santana, Bahia, 2008.

BASKIN, C. C.; BASKIN, J. M. Seeds: ecology, biogeography, and evolution of dormancy and germination. Academic Press. London, 666 p., 1998.

BEWLEY, J. D.; BLACK, M. Physiology and biochemistry of seeds in relation to germination: development, germination and growth. London: Springer, 1982.

BEWLEY, J. D.; BLACK., M. Seeds: Physiology of development and germination. 2nd ed. New York: Plenum Press, 1994. 445 p.

BORGES, E. E. L. et al. Comportamento fisiológico de sementes osmocondicionadas de Platymiscium pubescens (tamboril-da-mata). Revista Árvore, Viçosa, v. 26, n. 5, p. 603-613, 2002.

BORGES, E. E. L.; RENA, A. B. Germinação de sementes. In: AGUIAR, I. B.; PIÑA-RODRIGUES, F. C. M.; FIGLIOLIA, M. B. (Coord.) Sementes florestais tropicais. Brasília: ABRATES, 1993. 350 p.

BRADFORD, K. J. Manipulation of seed water relations via osmotic priming to improve germination under stress conditions. HortScience, v. 21, n. 5, p. 1105-1112, 1986.

BRADFORD, K. J. Water relations on seed germination. In: KIGEL, J.; GALILI, G. Seed development and germination. New York: Marcel Dekker, 1995. 853 p.

BRASIL. Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes / Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília: Mapa/ACS, 2009. 399 p.

CALDEIRA, S. F. Conservação, viabilidade e vigor de diásporo e crescimento inicial de mudas de aroeira (Myracrodruon urundeuva Fr. Allem.). 2007. 183 f. Tese (Doutorado em Ciências) - Universidade Federal de São Carlos, 2007.

CARON, B. O. et al. Análise de crescimento de plantas de aroeira vermelha no município de Ji-Paraná, RO. Revista da FZVA, Uruguaiana, v. 14, n. 1, p. 1-13, 2007.

CARVALHO, D. M et al. Avaliação do Estresse Hídrico na Germinação de Sementes de Myracrodruon urundeuva Fr. All. (ANACARDIACEAE). In: CONGRESSO DE ECOLOGIA DO BRASIL,8., 2007, Caxambu. Anais... Caxambu, 2007.

DE CASTRO, R. D. et al. Desenvolvimento de sementes e conteúdo de água. In: FERREIRA, A. G.; BORGHETTI, F. (Orgs.). Germinação: Do Básico ao Aplicado. Porto Alegre: Artmed. 2004a. p.51-67.

DELACHIAVE, M. E. A.; PINHO, S. Z. Germination of Senna occidentalis Link: seed at different osmotic potential levels. Brazilian Archives of Biology and Technology, Botucatu, v. 46, p.163-166, 2003.

DUARTE, E. F. et al. Avaliação da germinação de sementes de aroeira (Myracrodruon urundeuva (Engler) Fr. Allem.) Anacardiaceae, em diferentes substratos, com e sem exo e mesocarpo. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BOTÂNICA DE SÃO PAULO,13., 2000, São Paulo. Anais... São Paulo: USP, 2000.

FANTI, S. C.; PEREZ, S. C. J. G. A. Efeito do estresse hídrico e envelhecimento precoce na viabilidade de sementes osmocondicionadas de paineira (Chorisia speciosa). Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 38, p. 537-543, 2003.

FERREIRA, A. G. et al. Germinação de sementes de Asteraceae nativas no Rio Grande do Sul, Brasil. Acta Botânico Brasileiro. v. 15, n. 2, p. 231-242, 2001.

FERREIRA, A. G.; BORGHETTI, F. Germinação: do básico ao aplicado. Porto Alegre: Artmed, 2004. 323 p.

FERREIRA, D. F. Análises estatísticas por meio do Sisvar para Windows versão 4.0. In: REUNIÃO ANUAL DA REGIÃO BRASILEIRA DA SOCIEDADE INTERNACIONAL DE BIOMETRIA, 45., 2000, São Carlos. Anais... São Carlos, USFCar 2000. p. 255-258.

FIGUEIRÔA, J. M. et al. Crescimento de plantas jovens de Myracrodruon urundeuva Allemão (Anacardiaceae) sob diferentes regimes hídricos. Acta Botanica Brasilica, v.18, n. 3, p. 573-580, 2004.

FONSECA, S. C. L.; PEREZ, S. C. J. G. A. Ação do polietileno glicol na germinação de sementes de Adenanthera payonina L. e o uso de poliaminas na atenuação do estresse hídrico sob diferentes temperaturas. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 25, n. 1, p.1-6, 2003.

GONZAGA, T. W. C. et al. Crioconservação de sementes de aroeira (Astronium urundeuva Engl.) e baraúna (Schinopsis brasiliensis Engl.). Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v. 5, n. 2, p.145-154, 2003.

HENDRICKS, S. B., TAYLORSON, R. B. Variation in germination and amino acid leakage of seeds with temperature related to membrane phase change. Plant Physiology, v. 581, p. 7-11, 1976.

LARCHER, W. Ecofisiologia Vegetal. São Carlos: Rima Artes e Textos, 2000. 531 p.

LUCIO, A. A. et al. Comportamento fisiológico de sementes de aroeira-do-sertão (Myracrodruon urundeuva Fr. All. Anacardiaceae) submetidas a diferentes temperaturas de germinação. In: SEMINÁRIO PANAMERICANO DE SEMENTES, 20., 2006, Fortaleza. Anais... Fortaleza: ABRASEM, 2006.

LUCIO, A. D. C. et al. Relações entre variáveis nas análises de sementes de espécies florestais nativas do Rio Grande do Sul. Ciência Rural, Santa Maria, v. 37, n. 3, p. 697-704, 2007.

MEDEIROS, A. C. S. et al. Comportamento fisiológico de sementes de aroeira (Myracrodruon urundeuva Fr. All.) em condições de armazenamento. Boletim de Pesquisa Florestal, Colombo, n. 40, p. 85-98, 2000.

MICHEL, B. E.; KAUFMANN, M. R. The osmotic potencial of poliethylene glycol 6000. Plant Physiology, Rockville, v. 51, n. 5, p. 914-916, 1973.

MIRANDA, W. O. et al. Influência da luz na germinação de sementes de aroeira (Myracrodruon urundeuva) ocorrentes em dois fragmentos de Floresta Estacional Decidual no norte de Minas Gerais. In: CONGRESSO DE ECOLOGIA DO BRASIL, 8., 2007, Caxambú-MG. Anais... Caxambú, 2007.

PACHECO, M. V. et al. Efeito da temperatura e substratos na germinação de sementes de Myracrodruon urundeuva Fr. All. (Anacardiaceae). Revista Árvore, v. 30, n. 3, p. 359-367, 2006.

PEREZ, S. C. J. G. de A. et al. Influência da luz na germinação de sementes de canafístula submetidas ao estresse hídrico. Bragantia, Campinas, v. 3, n. 60, p. 155-166, 2001.

PROBERT, R. J. The role of temperature in germination ecophysiology. In: FENNER, M. Seed: the ecology of regeneration in plant communities. 2th ed. CAB International, 2000, 392 p.

RAVEN, P. H. et al. Biologia vegetal. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001. 906 p.

RIBEIRO, R. C. Efeito do Armazenamento na Viabilidade de Sementes de Gliricidia sepium (Jacq.) Steud. (Leguminosae - Papilionoideae) Introduzida do Semi-Árido Baiano. 2008. Dissertação (Mestrado em Botânica). Feira de Santana, Bahia, 2008.

SANTANA, D. G.; RANAL, M. A. Análise estatística na germinação: um enfoque estatístico. Brasília: UnB, 2004, 248 p.

SANTOS, V. L. M. et al. Efeito do estresse salino e hídrico na germinação e vigor de sementes de soja. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.14, n. 2, p.189-194, 1992.

SÉFORA, G. G. de F. Estresse Osmótico na Germinação, crescimento e nutrição mineral da Gliricidia (Gliricidia sepium Jack. Walp). 2008. 49 f. Dissertação (Mestrado). CSTR UFCG. Patos, 2008.

SILVA, L. M. de M. et al. Efeito da luz e da temperatura na germinação de sementes de aroeira (Myracrodruon urundeuva Allemão). Revista Árvore, v. 26, n. 6, p. 691-697, 2002.

SILVA, L. M. de M. et al. Estresse hídrico e condicionamento osmótico na qualidade fisiológica de sementes de Cnidoscolus juercifolius. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 9, n. 1, p. 66-72, 2005.

SILVA, L. M. de M. et al. Seed germination of Bowdichia virgilioides Kunth, under water stress. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 5, p.115-118, 2001.

SOUZA, S. C. A. et al. Conservação de Sementes de Myracodruon urundeuva Freire Allemão (Anacardiaceae) em Diferentes Condições de Armazenamento. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, p. 1140-1142, 2007.

TEÓFILO, E. M. et al. Qualidade fisiológica de sementes de aroeira (Myracrodruon urundeuva) em função do tipo de embalagem, ambiente e tempo de armazenamento. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 35, n. 2, p. 371-376, 2004.

TROVÃO, D. M. B. M. et al. Avaliação do potencial hídrico de espécies de Caatinga sob diferentes níveis de umidade no solo. Revista de Biologia e Ciências da Terra, v. 4, n. 2, 2004.

VILLELA, F. A. et al.. Tabela de potencial osmótico em função da concentração de polietilenoglicol 6.000 e da temperatutra. Pesquisa Agropécuaria Brasileira, v. 26, p. 1957-1968, 1991.

VIRGENS, I. O. et al. Avaliação do comportamento fisiológico de sementes de Myracrodruon urundeuva Fr. All. Submetidas a estresse hídrico. In: CONGRESSO NACIONAL DE BOTÂNICA, 59., 2008, Natal. Anais...Natal, 2008.




DOI: https://doi.org/10.5902/198050987550

Licença Creative Commons