Enraizamento de estacas de Caesalpinia echinata Lam. em hidroponia

Sérgio Valiengo Valeri, Ariadne Felício Lopo de Sá, Antonio Baldo Geraldo Martins, José Carlos Barbosa

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/198050985731

O objetivo deste trabalho foi determinar a necessidade e a concentração apropriada de ácido indolbutírico (AIB) no enraizamento de estacas de Caesalpinia echinata em sistema de hidroponia, para a produção de mudas. O experimento foi realizado em casa de vegetação da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias da UNESP Jaboticabal, SP. O material vegetal foi constituído de 160 estacas caulinares de 11 a 12 cm de comprimento com dois pares de folhas obtidas de mudas jovens produzidas partindo de sementes. As bases das estacas foram tratadas pelo método de imersão lenta em solução de etanol a 5% durante 14 horas contendo 0, 100, 200 e 400 mg L-1 de AIB e via imersão rápida em solução de etanol a 50% durante 5 segundos contendo 0, 1000, 3000 e 5000 mg L-1 de AIB. As estacas permaneceram no sistema de hidroponia por 90 dias e 90 dias adicionais em sacos de polietileno contendo Plantmax® como substrato, sendo mantidas sob nebulização intermitente. Após 90 e 180 dias de enraizamento, foram avaliados a porcentagem de sobrevivência e de estacas enraizadas, o número e o comprimento de raízes adventícias. As estacas devem ser tratadas com ácido indolbutírico na concentração de 100 mg L-1 por 14 horas e colocadas para enraizar em sistema de hidroponia.

Palavras-chave


pau-brasil; auxina; ácido indolbutírico; enraizamento

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050985731