Análise multicriterial na seleção de bacia hidrográfica para recuperação ambiental.

Carlos Eduardo da Silva Francisco, Ricardo Marques Coelho, Roseli Buzanelli Torres, Samuel Fernando Adami

Resumo


A bacia do ribeirão das Anhumas, na região de Campinas, SP, encontra-se com seus mananciais poluídos e assoreados em virtude de desmatamentos e do uso e ocupação irregulares das Áreas de Preservação Permanente (APP). Com essa falta de planejamento, o regime de vazão dos cursos d'água é alterado, promovendo enchentes sistemáticas, com prejuízos materiais, além de perda de várias funções ambientais dessas APP. A recuperação ambiental de uma área degradada como essa requer um esforço abrangente, muitas vezes muldisciplinar. A análise multicriterial é uma ferramenta que permite reunir características diversas, atribuir pesos e valores a estas, auxiliando na tomada de decisão. O objetivo deste trabalho foi aplicar dois métodos de análise multicriterial para otimização da seleção de uma sub-bacia hidrográfica para estudo de recuperação ambiental em APPs dentro da bacia do ribeirão das Anhumas. Dividiu-se a bacia do ribeirão das Anhumas em sete sub-bacias com o objetivo de selecionar uma delas como bacia-piloto para o planejamento e priorização para recuperação. Foram selecionados 13 critérios de natureza ambiental para aplicação da análise multicriterial. Usaram-se os métodos de análise multicriterial de Programação por Compromisso (PC) e o da Teoria dos Jogos Cooperativos (CGT). O uso dos dois métodos de análise multicriterial, PC e CGT, bem como o tratamento dos pesos atribuídos aos critérios pela média ou pela moda, não mostraram diferença significativa para seleção de bacias prioritárias. A análise multicriterial foi efetiva na seleção de bacias hidrográficas para recuperação de APPs, permitindo o uso de vários fatores no julgamento, com flexibilidade. Apesar dessa objetividade, a interferência do tomador de decisão se mostrou importante para corrigir distorções na análise. A ordenação das bacias prioritárias para recuperação de APPs, após interferência do tomador de decisão foi 4 > 7 > 5 > 6 > 2 > 3 > 1. Procedimentos complementares essenciais ao sucesso na análise multicriterial no contexto estudado foram evitar sobreposição conceitual de critérios, efetuar adequado julgamento de valor para os critérios e usar a experiência do tomador de decisão como complementar aos resultados obtidos com os especialistas.


Palavras-chave


Áreas de preservação permanente; ribeirão das Anhumas – Campinas; programação por compromisso; Teoria dos jogos cooperativos.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei Federal nº 4771/65, de 15 de setembro de 1965, alterada pela Medida Provisória nº 2.166-67, de 24 de agosto de 2001. Brasília, DF: Congresso Nacional, 2001.

BRIGUENTI, E.C. Geoindicadores na avaliação da qualidade ambiental da Bacia do Ribeirão das Anhumas, Campinas, SP. 2005. 129f. Dissertação (Mestrado) – Universidade de Campinas, Campinas, SP, 2005.

CAMPINAS. Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente. Mapas: bacias hidrográficas. Disponível em: Acesso em: 04 de abr. 2005.

CEPAGRI. Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura. Universidade Estadual de Campinas Clima de Campinas. Disponível em Acesso em 05 set. 2007.

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. 2.ed. São Paulo: Edgard Blücher, 1980. 188 p.

CULLEN J.R.L.; BELTRAME, T.P.; PÁDUA, C.V.; PÁDUA, S.M. Trampolins ecológicos e zonas de benefício múltiplo: ferramentas agroflorestais para a conservação de paisagens rurais fragmentadas na Floresta Atlântica brasileira. Natureza e Conservação, vol. 1, n. 1, p. 37-46, 2003.

EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Brasília : Embrapa Produção de Informação; Rio de Janeiro : Embrapa Solos, 1999. 412 p.

GERSHON, M.; DUCKSTEIN, L. Multiobjective approaches to river basin planning. Journal of Water Planning and Management, v. 109, n.1, p.13-28, 1983.

INSTITUTO GEOLÓGICO. Subsídios do meio físico-geológico ao planejamento do município de Campinas (SP). São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, 1993. 217 p. Mapas de escala 1:50.000.

KAGEYAMA, P.; GANDARA, F.B.; OLIVEIRA, R.E. Diversidade e restauração da floresta tropical. In: KAGEYAMA, P.; GANDARA, F.B.; OLIVEIRA, R.E. (org.) Restauração ecológica de ecossistemas naturais. Botucatu: FEPAF, 2003. p. 27-48.

KRONKA, FRANCISCO J.N.; NALON, M.A.; MATSUKUMA, C.K. Inventário da vegetação natural do Estado de São Paulo. (Atlas) São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente/Instituto Florestal, 2005. 200 p.

LEPSCH, I.F. (coord.) Manual para levantamento utilitário do meio físico e classificação de terras no sistema de capacidade de uso. 4ª Aproximação. Campinas : Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 1983. 175p.

METZGER, J.P. Como restaurar a conectividade de paisagens fragmentadas? In: KAGEYAMA, P.; GANDARA, F.B.; OLIVEIRA, R.E. (org.) Restauração ecológica de ecossistemas naturais. Botucatu: FEPAF, 2003. p. 49-76.

PARDALOS, P.M.; SISKOS, Y; ZOPOUNIDIS, C. (Eds.) Advances in multicriteria analysis. (Non-convex optimization and its application. v.5). Dordrecht, Netherlands: Kluwer, 1995. 249 p.

SÃO PAULO. Atlas das Unidades de Conservação Ambiental do Estado de São Paulo. São Paulo: Secretaria de Estado do Meio Ambiente, 2000.

SÃO PAULO. Secretaria de Economia e Planejamento. Plano cartográfico do estado de São Paulo: Cartas topográficas, escala 1:10.000. São Paulo: Instituto Geográfico e Cartográfico, 2005.

SANTIN, D.A. A vegetação remanescente do município de Campinas (SP): mapeamento, caracterização fisionômica e florística visando a conservação. 1999. 467f. Tese (Doutorado) – Universidade de Campinas, Campinas, SP, 1999.

SÃO PAULO. Secretaria do Meio Ambiente. Sistema Integrado de Gerenciamento de

Recursos Hídricos do Estado de São Paulo (SIGRH): Regionalização Hidrológica. Disponível em: Acesso em: 07 de out. 2005.

TORRES, R.B., NOGUEIRA, F.A.; COSTA, M.C. & PERES Filho, A. (Org.). Recuperação ambiental, participação e poder público: uma experiência em Campinas, SP. Projeto de Pesquisa em Políticas Públicas. Processo Fapesp no. 01/02952-1. Relatório de pesquisa 2006. Disponível em: Acesso em: 02 fev. 2006.

TUCCI, C.E.M. (Org.). Hidrologia: ciência e aplicação. 2.ed. rev. Porto Alegre: Ed. da Universidade Federal do Rio Grande do Sul ; São Paulo: EDUSP, 1993. 943 p. (coleção ABRH, vol. 4)

ZUFFO, A.C.; REIS, L.F.R.; SANTOS, R.F.; CHAUDHRY, F.H. Aplicação de métodos multicriteriais ao planejamento dos recursos hídricos. Rev. Bras. Rec. Hídricos, v.7, n.1, p. 81-102, 2002.

ZELENY, M. Multiple criteria decision making. New York: McGraw-Hill, 1982. 563 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19805098506