Simulação e avaliação econômica de regimes de desbastes e desrama para obter madeira de Pinus taeda livre de nós.

José Roberto S. Scolforo, Fausto Weimar Acerbi Júnior, Antônio Donizette de Oliveira, Romualdo Maestri

Resumo


Este estudo teve como objetivo simular e avaliar economicamente regimes de desbastes e de desrama para Pinus taeda, para obtenção de madeira livre de nós (clearwood) e de madeira para múltiplos usos. A área em estudo está situada no município de Jaguariaíva - PR. Foram testados dois cenários com diferentes números, épocas e intensidade de desbaste, com base em diferentes densidades iniciais de plantio, em diferentes níveis de produtividade, almejando a produção de madeira desramada, livre de nós, e de madeira não-desramada para vários usos. Os regimes de manejo gerados foram submetidos à análise de investimento a três taxas de desconto e a seis diferentes opções de preço da madeira desramada em relação à madeira não desramada, o que totalizou 86.022 diferentes opções de manejo. As simulações de crescimento, produção e desbastes foram obtidas com base no software PISAPRO. As análises econômicas foram realizadas valendo-se da maximização do valor presente líquido para uma série de infinitas rotações, utilizando, para tal, o software INVEST. Os regimes de manejo que apresentaram maiores rentabilidades, para as classes de sítio I e II e para os custos de produção e preços estipulados, foram aqueles com plantio de 833 árvores/ha e com corte final aos 21 anos, após a realização de três desbastes: sendo o primeiro um pré-comercial seguido de desrama aos 4 anos, mantendo 500 árvores/ha, o segundo um comercial aos 12 anos, mantendo 400 árvores/ha e o terceiro um comercial aos 14 anos mantendo 100 árvores/ha. Para a classe de sítio III, a melhor opção foi a adoção de regimes de manejo com plantio de 1.111 árvores/ha e corte final aos 20 anos, após a realização de um desbaste pré-comercial seguido de desrama aos 4 anos, mantendo 500 árvores/ha e de um desbaste comercial aos 12 anos, mantendo 200 árvores/ha. A segunda desrama, para as três classes de sítio, foi realizada entre 7 e 8 anos de idade.


Palavras-chave


simulação; desbastes; desrama; análise de investimento.

Texto completo:

PDF

Referências


ACERBI JUNIOR, F.W. Definição de regimes de desbastes e poda economicamente ótimos para Pinus taeda . 1998, 177p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Lavras, Lavras.

BAILEY, R.L.; WARE, K.D. Compatible basal area growth and yield model for thinning and unthinned stand. Canadian Journal of Forest Research, Otawa, v. 13, p. 563 – 571, 1983.

BENTLEY, W.; TEENGUARDEN, D. Financial maturity: a theory review. Forest Science, v. 11, n. 3, p. 76 – 87, 1965.

BERTOLOTI, G.; SIMÕES, J. W.; NICOLIELO, N. et al.. Efeitos de diferentes métodos e intensidades de desbaste na produtividade de Pinus caribaea var hondurensis Barr. et Golf. IPEF, Piracicaba, n.24, p.47-53, ago.1983.

BURKHART, H.E. Data collection and modeling approaches for forest crowth and yield prediction. In: Predicting Forest Crowth and Yield: Current issues, future prospects. Seatle: University Washington, 1987. p. 3 – 16.

BURKHART, H.E.; CAO, Q.V.; WARE, K.D. A comparation of growth and yield prediction models for loblolly pine. Virginia: School of Forestry and Wildlife Resources, 1981. 59 p. (Publ. FWS, 2).

FINGER, C.A.G.; SCHNEIDER, P.R. Determinação do peso do desbaste para florestas de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden, com base no índice de espaçamento relativo. Ciência Florestal, v.9, n.1, p. 79-87, 1999.

GOMES, F.S. A seleção de regimes de manejo mais rentáveis em Pinus taeda L. na produção de madeira para papel e celulose. 1999. 137p. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) – Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

HAFLEY, W.L.; BUFORD, M.A. A bivariate model for growth and yield prediction. Forest Science, Peking, v. 31, n. 1, p. 237 – 247, Mar. 1985.

KNOEBELL, B.C.; BURKHART, H. E.; BECK, D. E. A growth and yield model for thinned stands of yellow – poplar. Forest Science, Bethesda, v. 32, n. 2, p. 1 – 62, June 1986. (Monograph, 27)

MACEDO, A.R.P.; MATTOS, R.L.G. Produtos florestais madeira em tora, madeira serrada e painéis: Panorama 1980/1992. S.l.: BNDES/FINAME/BNDESPAR, 1995. 41p.

MAGIN, E.K. Standortgerechte ertragsmittlung als teil der forsteinrichtung. Mitteilungen aus der staatsforst – erwaltung Bayerns, v. 34, p. 305 – 314. 1964.

OLIVEIRA, E. B. Um sistema computadorizado de prognose do crescimento e produção de Pinus taeda L., com critérios quantitativos para avaliação técnica e econômica de regimes de manejo. 1995. 134p. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) – Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

SCHNEIDER, P.R. Betriebswirtschaftliche und ertragskundliche Grundlagen der Forsteinrichtung in Sudbrasilien am Beispiel von Pinus elliottii. 1984. 190p. Tese (Doutorado) - Diss. da Albert – Ludwigs – Universitat. Freiburg, Freiburg, Alemanha.

SCHNEIDER, P.R. Efeito da intensidade do desbaste sobre o fator K – Magin em povoamentos de Pinus elliottii E. In: CONGRESSO FLORESTAL PANAMERICANO, 1.; CONGRESSO FLORESTAL BRASILEIRO, 7., 1993, Curitiba. Anais... Curitiba: SBS – SBEF, 1993. p. 504 – 507.

SCOLFORO, J.R.S; ACERBI JUNIOR, F.W.; MELLO, J.M. et al.. A model for evaluation of forest growth and yield with thinning simulator. Forest Ecology and Management. 1999. 20p. (submetido)

SCOLFORO, J.R.S. Sistema integrado para predição e análise presente e futura do crescimento e produção, com otimização de remuneração de capitais, para Pinus caribaea var. hondurensis. 1990. 290p. Tese (Doutorado em Ciências Florestal) – Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

SCOLFORO, J.R.S. O sistema PISAPRO. Lavras: UFLA/FAEPE, 1997. 79p.

SCOLFORO, J.R.S.; MACHADO, S.A. Um sistema de crescimento e produção com simulador de desbaste. Scientia Forestalis, Piracicaba, n.50, p.51-64, dez.1996.

SCOLFORO, J.R.S.; MAESTRI, R. O manejo de florestas plantadas. In: SCOLFORO, J.R.S. Manejo florestal. Lavras: UFLA/FAEPE, 1997. Cap. 8. p. 313-379.

SCOLFORO, J.R.S. Modelagem do crescimento e da produção de florestas plantadas e nativas. Lavras: UFLA/FAEPE, 1998a. 441p.

SCOLFORO, J.R.S. O sistema INVEST. Lavras: UFLA/FAEPE, 1998b. 52p.




DOI: https://doi.org/10.5902/19805098500

Licença Creative Commons