Avaliação da regeneração natural de Eucalyptus paniculata Smith.

Vilmar Luciano Mattei, Solon Jonas Longhi

Resumo


A regeneração natural de Eucalyptus paniculata, originada por semeadura natural, foi avaliada com o objetivo de identificar o potencial desse método de regeneração. Foram instaladas amostras de 4 m2, sistematicamente distribuídas na área regenerada, nas quais foram avaliadas a quantidade de plantas, diâmetro das plantas e a distância de um ponto a árvore mais próxima. Os resultados obtidos demonstraram que nenhuma parcela estava vazia e que 70% desses espaços vazios apresentavam área de até 1 m2. Em 56% das parcelas encontrou-se de 2 a 5 plantas. Na idade de 6 a 7 anos, em 55% das parcelas, o diâmetro da maior planta foi superior a 10 cm. A distribuição das árvores possibilita realizar desbastes seletivos no povoamento, garantindo sua produtividade futura.


Palavras-chave


<i>Eucalyptus paniculata</i>; regeneração natural; métodos de regeneração.

Texto completo:

PDF

Referências


ALONSO, A. V. Los tratamientos silviculturais. Santiago: Universidade de Chile, 1978. 233 p.

BARNETT, J.P.; BAKER,J.B. Regeneration methods. In: DUREYA, L.; DOUGHERTY, P. M. (Eds.) Forest regeneration manual. Dordrecht: Kluver, 1991. p. 35-50.

CAMPBELL, T.E.; MANN, W.F. Regenerating loblolly pine by direct seeding, natural seeding, and planting. Research Paper, New Orleans, n. 84, p. 1-10, 1973. (USDA. Forest Service).

COELHO, M. C. B. Crescimento em altura para Pinus elliottii Engelm., originado a partir de diferentes métodos de regeneração, em Canela e Palmares do Sul, RS. 1997. 68 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria.

EDWARDS, M.B. Natural regeneration of loblolly pine. General Techical Report, Asheville, n. 47, p. 1-17, 1987. (USDA. Forest Service).

GALVÃO, F. Informações dendrológicas sobre alguns eucaliptos indicados para a Região Sul do Brasil. Curitiba: Universidade Federal Paraná, 1982. 50 p.

GUTIÉRREZ, G. de la L. Atlas del Eucalipto: tomo I – Informacion y ecologia. Sevilla: Ministerio de Agricultura, Instituto Nacional de Investigaciones Agrarias (INIA), Instituto Nacional para la Conservación de la Naturaleza (ICONA), 1976.

JANKOVSKI, T. Estudo de alguns aspectos da regeneração natural induzida em povoamentos de Pinus taeda L. e Pinus elliottii Engelm. L. 1996. 160 p. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) – Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

KAGEYAMA, P. Y.; CASTRO, C.F. de A. Sucessão secundária, estrutura genética e plantações de espécies arbóreas nativas. IPEF, Piracicaba, n. 41/42, p. 83-93, 1989.

LAMPRECHT, H. Silvicultura nos trópicos: ecossistemas florestais e respectivas espécies arbóreas – possibilidades e métodos de aproveitamento sustentado. Eschborn: GTZ, 1990. 343 p.

MANGIERI, H. R.; DIMITRI, M. J. Los eucaliptos en la silvicultura. Buenos Aires: Ed. Acme, 1958. 226 p.

MATNEY, T. G.; HODGES, J. D. Evaluating regeneration success. In: DURYEA, M. L.; DOUCHERTY, P. M. Forest regeration manual. Dordrecht: Kluwer, 1991, p. 321-331.

OTTONE, J. R. Observaciones sobre la repoblacion natural de Eucaliptos. In: CONGRESO FORESTAL ARGENTINO, 1., 1969, Buenos Aires. Actas... Buenos Aires: Servicio Nacional Forestal, 1969. p.213-214.

SEITZ, R. A. O diagrama de áreas vazias. Floresta, Curitiba, v.11, n.2, p. 52-58, 1980.

SEITZ, R. A.; JANKOVSKI, T. A regeneração natural de Pinus taeda. In: SIMPÓSIO FLORESTAL DO RIO GRANDE DO SUL, 5., 1998, Caxias do Sul. Anais... Caxias do Sul: Associação Gaúcha de Empresas Florestais (AGEFLOR), Sindicato das Indústrias da Madeira da Região Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul (SINDIMADEIRA), Centro de pesquisas Florestais (CEPEF), Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal da UFSM (PPGEF), 1998. p.37-53.

STEIN, W.I. Developing an acceptable stoking survey. In: ANNUAL MEETING OF THE NORTHERN CALIFORNIA SECTION, SOCIETY OF AMERICAN FORESTERS, 1974, Oakland. Proceedings... Springfield: U.S. Department of Commerce, National Technical Information Service, 1974. p. 1-13.

STEWART, R.E. Site preparation. In: CLEARY, B.D. et al. Regenerating Oregon’s Forests. Corvallis: USDA. Forest Service, 1978. p. 100-129.

WENGER, K.F; TROUSDELL, K.B. Natural regeneration of loblolly pine in the South Atlantic Coastal Plain. Production Research Report, Washington, n.13, p. 1-78, 1958.

YOUNG, R. A. Introdución a las ciencias forestales. México: Ed. Luminosa, 1991. 632 p.




DOI: https://doi.org/10.5902/19805098495

Licença Creative Commons