Determinação do teor de sílica em madeira por espectroscopia de absorção atômica de chama versus espectroscopia no ultravioleta-visível.

Laécio Carneiro Rodrigues, Marcos Antonio Eduardo Santana

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo comparar o desempenho de duas técnicas analíticas, espectroscopia de absorção atômica de chama (FAAS) e espectroscopia no ultravioleta-visível (UV-VIS), na determinação do teor de sílica em materiais lignocelulósicos. Os métodos foram testados em amostras de madeira de três árvores de Apuleia leiocarpa (Vog.) Macbride. Os resultados mostraram que ambas as técnicas apresentam bons resultados, no entanto, a FAAS apresenta melhor precisão, rapidez e simplicidade operacional. Entretanto, a aplicação da espectroscopia UV-VIS é justificada pelo fato de os custos de aquisição e manutenção de um espectrofotômetro UV-VIS serem muito inferiores àqueles de um espectrômetro de absorção atômica. O uso da técnica FAAS deve ser preferido apenas quando os teores de sílica a serem determinados forem muito baixos, tendo em vista que a espectroscopia UV-VIS, nesses casos, não apresenta boa precisão.


Palavras-chave


madeiras tropicais; materiais inorgânicos; silicatos e silício.

Texto completo:

PDF

Referências


BENDTSEN, B.A.; FREESE, F.; ETHINGTON, R.L.A. A forest sampling method for wood strength. Forest Products Journal, Madison, v.20, n. 11, p. 49-53, 1970.

HORWITZ, W. Official methods of analysis of the association of official agricultural chemists. 4. ed. Washington: Association of Analytical Chemistry, 1960. 73p.

JONES, L.P.H. Mineral components of plant cell walls. The American Journal of Clinical nutrition, New York, v.31, p.s94-s97, 1978.

NOACK, D. Evaluation of properties of tropical timber. Hamburgo: IUFRO, 1970.

NOVOZAMSKY, I.; VAN ECK, R.; HOUBA, V.J.G. A rapid determination of silicon in plant material. In Communication in soil science and plant analysis, New York, v.15, n.3, p. 205-211, 1984.

PANSHIN, A.J.; DE ZEEUW, C. Textbook of Wood Technology: Structure, identification, properties and uses of the commercial woods of the United States and Canada. New York: McGraw-Hill Book Company, 1980. 772 p.

RODRIGUES, L. C.; SANTANA, M. A. E. Metodologia para determinação do teor de sílica em materiais lignocelulósicos via espectrometria no ultravioleta-visível. Floresta & Ambiente, Rio de Janeiro, v.12, n.1, p. 57-62, 2005.

TAPPI. Ash in wood, pulp, paper and paperboard: combustion at 525°C. T-211 om-93. TAPPI test methods. Atlanta: TAPPI Press, 1996a.

TAPPI. Preparation of wood for chemical analysis. T-264 om-88. TAPPI test methods. Atlanta: TAPPI Press, 1996b.

TRUGILHO, P.F., MENDES, L.M., SILVA, J.R.M., LIMA, J.T. Influência da idade nas características físicas, químicas e anatômicas da madeira de Eucalyptus grandis. In: IUFRO CONFERENCE ON SOIL SILVICULTURE AND IMPROVEMENT OF EUCALYPTUS. 1977, Salvador. Anais… Colombo: EMBRAPA - Centro Nacional de Pesquisa de Florestas, 1977. v. 4. p. 269-275.

VAN DER VORM, P.D.J. Dry ashing of plant material and dissolution of the ash in HF for the colorimetric determination of silicon. Communication in soil science and plant analysis, New York, v.18, n.11, p.1181-1189, 1987.

VASCONCELOS, F.J. de, FREITAS. J.A. de, SILVA, A.C. Observação microscópica de inclusões minerais no xilema de espécies tropicais da amazônia. Acta Amazônica, Manaus, v.25, n.1/2, p. 55-68, 1995.

VOLK, R.J. & WEINTRAUB, R.J. Microdetermination of silicon in plants. Analytica Chimica Acta, Amsterdam, v. 30, p. 1011-1014, 1958.

XIA, X.; BELAND, R.; MIERSCH, S.; HOUDE, D.; ABOUL-ENEIN, H.Y. Development and validation method for silica determination by spectrophotometry in some herbs and pharmaceutical formulations. Analytical Letters, New York, v. 33, n.3, p. 455-463, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19805098462