Elementos minerais em madeiras de eucaliptos e acácia negra e sua influência na indústria de celulose kraft branqueada.

André Fredo, Celso E. B. Foelkel, Sônia M. B. Frizzo, Maria C. M. Silva

Resumo


No ramo de papel e celulose os efluentes são um dos principais problemas e o consumo de água é crítico. Os circuitos internos estão sendo fechados e as fontes de contaminação precisam ser conhecidas. Uma das fontes de contaminação destes efluentes são os minerais da madeira, matéria-prima neste tipo de indústria. Neste trabalho foi avaliada a quantidade de alumínio, cálcio, cobre, ferro, potássio, magnésio, manganês, sódio, níquel e silício em madeiras de cinco espécies florestais, plantadas na região de Guaíba, RS, compreendendo Acacia mearnsii, Eucalyptus dunnii, Eucalyptus globulus, Eucalyptus grandis, Eucalyptus saligna. As amostras de madeira foram tratadas com digestão ácida e com carbonização em mufla, solubilizando em ácido para serem analisadas por ICP (Inductively Coupled Plasm). Foi observado que a quantidade de elementos é considerável e os principais elementos encontrados foram K, Ca, Na, Al, Mn, e Si. As espécies Eucalyptus grandis e Eucalyptus saligna mostraram melhor crescimento. Por outro lado, Eucalyptus globulus e Eucalyptus dunnii mostraram menor crescimento e maior teor de elementos. Pelo fato dessas espécies introduzirem maiores quantidades de elementos no processo de fabricação, devem conduzir a maiores problemas industriais. A Acacia mearnsii mostrou o menor nível para ferro, manganês e níquel, sendo uma boa opção para uso em branqueamento com oxigênio, ozônio e peróxido. O silício observado estava em baixa quantidade, o que leva a afirmar que há, na prática industrial, muita contaminação da madeira explorada com solo já que se encontram altos valores de sílica nos circuitos de licores. A entrada dos elementos minerais estudados em uma fábrica de celulose via madeira varia de 4 a 6 kg por tonelada de polpa não-branqueada produzida. Cuidados especiais devem ser tomados com as espécies com madeiras mais ricas em cinzas e elementos minerais e mais baixas eficiências nutricionais, como foi o caso de Eucalyptus dunnii e Eucalyptus globulus.

Palavras-chave


Fechamento de circuitos; elementos minerais; madeira; metais; cátions; eucaliptos; acácia negra.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERT, R. J. Technical and economic feasibility of the effluent-free bleached kraft pulp mill. In: INTERNATIONAL NON-CHLORINE BLEACHING CONFERENCE, 1993 [s.l.], 1993. 23 p. inclui material em anexo

ALBERT, R. J. Worldwide status of effluent-free technology for bleached kraft pulp production. In: INTERNATIONAL NON-CHLORINE BLEACHING CONFERENCE, 1995 [s.l.], 1995. 37 p. inclui material em anexo

ALBERT, R. J. Current status of TEF bleached kraft pulp mills and future trends. In: INTERNATIONAL NON-CHLORINE BLEACHING CONFERENCE, 1996 [s.l.], 1996. 38 p. inclui material em anexo

BRYANT, P. S., EDWARDS, L. L. Monitoring and control of transition element in kraft mill fiberlines. [S.l.: s.n.],1994. 23p. inclui material em anexo.

DEVENYNS, J.; BALLADA, F. D.; TROUGHTON, N.; PLUMET, L.; Control de metales en un blanqueo TCF. El Papel, n. 48, p. 24-33, abril, 1995.

EDSTROM, S. The ‘closed’ chemical pulp mill: myth or reality? Papermaker, p. 24-27, September, 1994.

FINGER, C. A. G.; SCHNEIDER, P. R. Padronização de símbolos florestais. Série Técnica, n.5, UFSM/CEPEF/FATEC, Santa Maria, 1988, 11 p.

FOELKEL, C., ASSIS, T.F. New pulping technology and Eucalyptus wood: the role of soil fertility, plant nutrition and wood ion content. In: EUCALYPTUS PLANTATIONS: IMPROVING FIBRE YELD AND QUALITY, 1995. Hobart. Proceedings... Sandy Bay: Cooperative Research Centre for Temperate Hardwood Forestry, 1995. 488 p. p.10-13.

GLEADOW, P., HASTINGS, C. S., JOHNSON, T. et al. A survey of research and development activity in bleached kraft mill closed cycle. In: INTERNATIONAL NON CHLORINE BLEACHING CONFERENCE, 1993. [S.l.] 1993. 9 p.

GRACE, T. M., SACHS, D. G.,GRADY, H. J. Determination of the inorganic composition of alcaline black liquors. Tappi. v. 60, n. 4, p. 122-125, 1977.

HOBBS, G. C., ABBOT, J. The effect of aluminum on the two-stage peroxide bleaching of Eucalyptus regnans stone groundwood pulp. Journal of Pulp and Paper Science. v. 20, n. 2, p. j50-j54. 1994.

LINDBERG, H. Strategies for metal removal control in closed cycle mills. In: INTERNATIONAL PULP BLEACHING CONFERENCE, 1994. Vancouver, 1994. p. 293-302.

MOUDGIL, B. M., PRAKASH, T. S. Application of aqueous-aqueous separation technique for chloride removal from precipitator salt cake. [S.l.: s.n., 19__] 23p.

MOY, W. A., JOYCE, P., STYAM, G. E. Removal of sodium chloride from kraft recovery systems. Pulp and Paper Magazine of Canada, v. 75, n. 4, p.88-90, 1974.

PERKIN ELMER. Optima 3000 ICP Emission Spectrometer. Catálogo. Norwalk, 1992.

SACON, V. M.; DIAS, C. A.; FOELKEL, C.; ASSIS, T. F. Metais em madeira X preparação amostral. [Guaíba] : Riocell, 1994. (Relatório Técnico, 1091)

STRÖMQVIST, D. New technology development for the closed cycle bleach plant. In: SECOND GLOBAL CONFERENCE ON PAPER & THE ENVIRONMENT, 1994, Frankfurt. Anais... Frankfurt. 1994.

TRAN, H. N., BARHAM, D., REEVE, D. W. Chloride and potassium in the kraft chemical recovery cycle, Pulp and Paper Canada, v.91, n.5, p.55-62, 1990.

VENTURA, J. W., TURQUETTI, A. A. Balanço de cloretos e potássio no sistema de licor. [Guaíba] : Riocell, 1994. n. p. (Relatório Técnico, 718).




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19805098376