Padrões para germinação, pureza, umidade e peso de mil sementes em análises de sementes de espécies florestais nativas do Rio Grande do Sul

Fernanda de Oliveira Brüning, Alessandro Dal’Col Lúcio, Marlove Fátima Brião Muniz

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo propor padrões de confiabilidade, em relação à germinação, pureza, peso de mil sementes e grau de umidade das sementes, visando ao controle de qualidade das análises de sementes de espécies florestais. Para tanto, foram utilizados resultados de análises de sementes de espécies florestais em laboratório, a partir do ano de 1997 até 2007, obtidos dos arquivos do Laboratório de Análise de Sementes da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio Grande do Sul. Os padrões de confiabilidade foram construídos com base em uma análise de normalidade dos dados e da utilização do critério do pseudossigma. Os limites se mostraram eficientes no estabelecimento do valor mínimo aceitável para que um lote de sementes seja comercializado, propondo que valores de germinação dentro dos limites de confiabilidade baixos devem ser descartados, pois não apresentam índices germinativos aceitáveis.

 


Palavras-chave


sementes florestais; limites de confiança; critérios de avaliação

Texto completo:

PDF

Referências


BARBEDO, C. J. et al. Germinação e armazenamento de diásporos de cerejeira (Eugenia involucrata DC. - Myrtaceae) em função do teor de água. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 20, n. 1, p. 184-188, 1998.

BRASIL. Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Secretaria Nacional de Defesa Agropecuária. Departamento Nacional de Defesa Vegetal. Regras para análise de sementes. Brasília, 1992. 365p.

CAMPOS, H. Estatística experimental não-paramétrica. 4. ed. Piracicaba: Departamento de Matemática e Estatística/ESALQ, 1983. 349 p.

CARGNELUTTI FILHO, A. et al. Ajustes de funções de distribuição de probabilidade à radiação solar global no Estado do Rio Grande do Sul. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília,v. 39, n. 12, p. 1157-1166, dez. 2004.

CATALUNHA, M. J. et al. Aplicação de cinco funções densidade de probabilidade a séries de precipitação pluvial no estado de Minas Gerais. Revista Brasileira de Agrometeorologia, Santa Maria, v. 10, n. 1, p. 153-162, 2002.

COSTA, N. H. et al. Novo método de classificação de coeficientes de variação para a cultura do arroz de terras altas. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 37, n. 3, p. 243-249, mar. 2002.

DURIGAN, G. et al. Sementes e mudas de árvores tropicais. 2. ed. São Paulo: Páginas & Letras, 2002. 67 p.

FIGLIOLIA, M. B.; PIÑA-RODRIGUES, F. C. M. Considerações práticas sobre o teste de germinação. IF Série Registros, São Paulo, v. 14, p. 45-59, 1995.

FORTES, F. O. et al. Agrupamento em amostras de sementes de espécies florestais nativas do Estado do Rio Grande do Sul – Brasil. Ciência Rural, Santa Maria, v. 38, n. 6, p. 1615-1623, 2008.

GARCIA, C. H. Tabelas para classificação do coeficiente de variação. Piracicaba: Instituto de pesquisas Florestais, 1989. 12 p. (Circular Técnica, 171).

GOULART, D. et al. Avanços na Análise de Sementes. Seed News, Pelotas, v. 12, n. 1, p. 12, 2008.

LÚCIO, A. D. et al. Classificação dos experimentos de competição de cultivares quanto a sua precisão. Pesquisa Agropecuária Gaúcha, Porto Alegre, v. 5, n. 1, p. 99-103, 1999.

LÚCIO, A. D. et al. Distribuição de probabilidade em análises nutricionais de espécies florestais. Revista Ceres, Viçosa, v. 54, n. 313, p. 214-224, 2007.

OLIVEIRA, E. C. et al. Propostas para a padronização de metodologias em análise de sementes florestais. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 11, n. 1/2/3, p. 1-42, 1989.

PINÃ-RODRIGUES, F. C. M.; VIEIRA, J. D. Teste de germinação. In: PINÃ-RODRIGUES, F. C. M. (Ed.). Manual de análise de sementes florestais. Campinas: Fundação Cargill, 1988. p.70-90.

VIEIRA, A. H. et al. Técnicas de produção de sementes florestais. Boa Vista: EMBRAPA-CPAF, Rondônia, 2001, p.1–4. (Documentos; 205).

WIELEWICKI, A. P. et al. Proposta de padrões de germinação e teor de água para sementes de algumas espécies florestais presentes na região sul do Brasil. Revista Brasileira de Sementes, Pelotas, v. 28, n. 3, p. 191-197, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050983221