Determinação do estoque de carbono em Teca (Tectona grandis L. F.) em diferentes idades

Eleusa Maria Almeida, José Holanda Campelo Júnior, Zenesio Finger

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a quantidade de carbono em cultivo de Teca (Tectona grandis L.f.), com 0,5; 1,5; 2,5; 3,5 e 5,5 anos de idade ao longo de um ano pertencentes à empresa BrasTeca Agroflorestal Ltda, localizada no município de Santo Antônio do Leverger, MT. O estoque de carbono em cada idade foi obtido a cada 90 dias, por meio da determinação da quantidade de massa seca da serapilheira acumulada, do teor de carbono orgânico no perfil do solo, da densidade de raízes no solo e da mensuração do volume do fuste e da copa em três plantas escolhidas ao acaso. A avaliação do tamanho das plantas, em altura total, diâmetro à altura do peito e projeção da copa, foi realizada em vinte plantas preservadas em cada idade. A quantificação do carbono da parte aérea foi realizada por meio do corte de três plantas em cada idade, obtendo a massa fresca total por componente. Para determinar a massa seca de raízes, utilizou-se a relação entre volume de solo e densidade de raiz de três plantas por idade, sendo realizadas quatro perfurações por planta, com seis subamostras cada, até a profundidade de 0,90 m. O teor de carbono no solo e na serapilheira acumulada, a cada coleta e por idade, foi obtido após análise em laboratório. A quantidade média de carbono encontrada por hectare foi de 122,5 t de C para 0,5 ano, de 104,3 t de C para 1,5 ano, de 180,8 t de C para 2,5 anos, de 303,1 t de C para 3,5 anos e de 322,3 t de C para 5,5 anos, considerando o número de plantas por hectare nas diferentes idades. Verificou-se que a distribuição média de carbono por componente no sistema foi de 90,8% no solo, 5,04% para a parte aérea, 3,04% nas raízes e de 1,21% na serapilheira acumulada.


Palavras-chave


quantificação de carbono; plantação de Teca; massa seca

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRAE, F.; KRAPFENBAUER, A. Distribuição de raízes finas do pinheiro bravo (Podocarpos lambertii) e do pinheiro brasileiro (Araucaria angustifolia). In: PESQUISAS AUSTRO - BRASILEIRAS (1973-1982). Santa Maria: UFSM, 1983. p. 56-67.

BAYER, C. et al. Incremento de carbono e nitrogênio num latossolo pelo uso de plantas estivais para cobertura do solo. Ciência Rural, Santa Maria, v. 33, n. 3, p. 469-475, 2003.

BRAUWERS, L. R. Interceptação da radiação solar, crescimento e produção dos componentes de sistema agroflorestal. 2004. 58 f. Dissertação (Mestrado em Agricultura Tropical)-Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2004.

CORAZZA, E. J. et al. Comportamento de diferentes sistemas de manejo como fonte ou depósito de carbono em relação à vegetação de cerrado. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 23, n. 2, p. 425-432, 1999.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa agropecuária. Centro Nacional de Pesquisas do Solo. Manual de métodos de análise de solo. 2 .ed. Rio de Janeiro: 1997. 212 p.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa agropecuária. Centro Nacional de Pesquisas do Solo. Sistema brasileiro de classificação de solos. Rio de Janeiro: 1999.

FINGER, Z; FINGER, F. A.; DRESCHER, R. Teca (Tectona grandis L.f.): plante esta idéia. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA FLORESTAL, 1., 2001, Santa Maria. Anais... Santa Maria: UFSM, 2001. 1 CD-Rom.

HERRERA, M. C. F. Densidade Básica e equações de peso de madeira seca de povoamentos de eucalipto de acordo com a idade, espécie e método de regeneração. 1989. 113 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal)–Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1989.

HIGUCHI, N.; CARVALHO, J. A. Fitomassa e conteúdo de carbono de espécies arbóreas da Amazônia. In: SEMINÁRIO “EMISSÕES X SEQÜESTRO DE CO2 – Uma nova oportunidade de negócios para o Brasil”. 1994, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: CVRD-Companhia Vale do Rio Doce, 1994. p.127-153, 1994.

KRAENZEL, M. et al. Carbon storage of harvest – age teka (Tectona grandis L.f.) plantations, Panama. Forest Ecology and Management, n. 5863, p. 1-13, 2002.

OLIVEIRA, L. C. Teca: alternativa de produção florestal na Amazônia. Rio Branco: Embrapa Acre, 2004. Disponível em: www.embrapaacre.gov.br. Acesso em 17 out 2004.

SCHUMACHER, M. V. et al. Retorno de nutrientes via deposição de serapilheira em um povoamento de acácia-negra (Acacia mearnsii De Wild.) no Estado do Rio Grande do Sul. Revista Árvore, Viçosa, v. 27, n. 6, p. 791-798, 2003.

SOARES, C. P. B.; OLIVEIRA, M. L. R. Equações para estimar a quantidade de carbono na parte aérea de árvores de eucalipto em Viçosa, Minas Gerais. Revista Árvore, Viçosa, v. 26, n. 5, p. 534-539, 2002.

SZAKÁCS, G. G. J. Seqüestro de carbono nos solos - Avaliação das potencialidades dos solos arenosos sob pastagens, Anhembi-Piracicaba - SP. 2003.128 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias, área de concentração energia nuclear na agricultura)–CENA, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2003.

TEDESCO, M. J. et al. Análise de solo, plantas e outros materiais. Porto Alegre: UFRGS, 1995. 118 p. (Boletim Técnico, 5).

VITAL, B. R. Métodos de determinação da densidade da madeira. Viçosa: SIF, 1984. 21 p.

(Boletim Técnico, 2).




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050982414