IMATURIDADE FISIOLÓGICA E CONDICIONAMENTO HÍDRICO DE SEMENTES DE Parkia nitida Miq COM DORMÊNCIA FÍSICA

Gina Janet Vargas Pinedo Moraes, Isolde Dorothea Kossmann Ferraz, Lilian Costa Procópio

Resumo


 

Parkia nitida (Fabaceae Mimosoideae) é uma árvore madeireira neotropical de importância econômica e ecológica devido à sua madeira e à possibilidade de crescimento rápido em áreas degradadas. Esse estudo teve como objetivo verificar se as sementes recém-colhidas apresentam imaturidade fisiológica e aplicar hidrocondicionamento com diferentes graus de embebição para melhorar o desempenho germinativo. O mesmo lote de sementes foi avaliado imediatamente após a colheita e após um ano de armazenamento. Os tratamentos foram 0, 20, 40 e 60% de embebição parcial em água a 15°C, seguida de um dessecamento por 7 dias. A semeadura ocorreu em areia lavada no viveiro (4 x 25 sementes/tratamento). O teor de água das sementes foi determinado antes e após a embebição, e após o dessecamento. Os testes estatísticos ANOVA e Kruskal-Wallis mostraram que existe diferença significativa entre os tratamentos para a percentagem final e o tempo médio de germinação (p>0.05). Sementes recém-colhidas de Parkia nitida apresentaram 35% de desenvolvimento de plântulas normais, este valor incrementou para 76% após um ano de armazenamento das sementes. As sementes frescas conseguiram alcançar o mesmo valor de germinação das sementes armazenadas por um ano e ainda reduziu o tempo médio de emergência de 7 para 4 dias. O efeito positivo do hidrocondicionamento foi observado somente após uma embebição parcial de 20% (29 horas). Períodos de embebição mais prolongada reduziram significativamente a germinação. Os resultados indicam um “nível crítico” de embebição entre 20 e 40% de turgência. A necessidade de um período de maturação pós-colheita, para sementes de Parkia nitida, pode ser superada com hidrocondicionamento das sementes frescas.


Palavras-chave


dormência fisiológica; semente florestal tropical; condicionamento; Fabaceae.

Texto completo:

PDF

Referências


AFZAL, I. et al. Enhancement of germination and emergence of canola seeds by different priming techniques. Caderno de Pesquisa Série Biologia, Santa Cruz do Sul, v. 16, n. 1, p. 19-34, 2004.

AROUCHA, E. M. M. et al. Época de colheita e período de repouso dos frutos de mamão (Carica papaya L.) cv Golden na qualidade fisiológica das sementes. Ciência Rural, Santa Maria, v. 35, n. 3, p. 537-543, 2005.

AZEVEDO, M. R. de Q. A. Influência das embalagens e condições de armazenamento no vigor de sementes de gergelim. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 7, n. 3, p. 519-524, 2003.

BASRA, S. M. A. et al. Pre-sowing seed treatments to improve germination and seedling growth in wheat (Triticum aestivum L.). Caderno de Pesquisa Série Biologia. Santa Cruz do Sul, n. 17, p. 155-164, 2005.

BLACK, M.; BEWLEY, J. D.; HALMER, P. The encyclopedia of seeds - science, technology and uses. CABI, Wallingford, U.K., 2006. 828 p.

BORGES, E. E. L. Comportamento fisiológico de sementes osmocondicionadas de Platymiscium pubescens Micheli (tamboril-da-mata). Revista Árvore, Viçosa, v. 26, n. 5, p. 603-613, 2002.

BORGES, E. E. L.; BORGES, R. C. G.; BUCKRIDGE, M. S. Modificações fisiológicas em sementes osmocondicionadas de Jacarandá-da-Bahia (Dalbergia nigra (Vell.) Fr. All). Revista Árvore, Viçosa, v. 20, n. 2, p. 147-154, 1996.

BORGES, E. E. L.; SILVA, L. F.; BORGES, R. C. G. Avaliação do osmocondicionamento na germinação de quaresminha (Miconia candolleana Trian.) Revista Brasileira de Sementes., Brasília, v. 16, n. 1, p. 90-94, 1994.

BRADFORD, K. J. Water relations in seed germination. Chapter 13. In: Kigel, J.; Galili, G.; Dekker, D. eds. Seed development and germination. Marcel Dekker, Inc.: NewYork, p. 351-396, 1995.

BRASIL. Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Regras para análise de sementes. Brasília: DNDA. CLAV. 2009. 398p.

CALVI, G. P. et al. Tratamentos de pré-embebição para aumento do desempenhoda germinanção de sementes de Parkia multijuga Benth. Revista Forestal Latinoamericana, Venezuela, v. 23, n. 2, p. 53-65, 2008.

CAMARGO, J. L. C.; FERRAZ, I. D. K.; IMAKAWA, A. M. Rehabilitation of degraded areas of central amazonia using direct sowing of forest tree seeds. Restoration Ecology, Washington D. C., v. 10, n. 4, p. 636-644, 2002.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 4. ed. Jaboticabal: FUNEP. 2000. 588 p.

CASTRO, R. D.; BRADFORD, K. J. ; HILHORST, H. W. M. Desenvolvimento de sementes e conteúdo de água. In: Ferreira, A. G.; Borghetti, F. Germinação: do básico ao aplicado. Editora Artmed: Porto Alegre, p. 51-67, 2004.

CRUZ, E. D.; CARVALHO, J. E. U.; LEÃO, N. V. M. Métodos para superação da dormência e biometria de frutos e sementes de Parkia nitida Miquel. (Leguminosae – Mimosoideae). Acta Amazônica, Manaus, v. 31, n. 2, p. 167-177, 2001.

DEMIR, I.; MAVI, K. The effect of priming on seedling emergence of differentially matured watermelon (Citrullus lanatus (Thunb.) seeds. Scientia Horticulturae, Amsterdam, n. 102, p. 467-473, 2004.

FAROOQ, M.; BASRA, S. M. A.; ABDUL, W. Priming of field-sown rice seed enhances germination, seedling establishment, allometry and yield. Plant Growth Regulation, New York, v. 49, p. 285-294, 2006.

FAROOQ, M.; BASRA, S. M. A.; AHMAD, N. Improving the performance of transplanted rice by seed priming. Plant Growth Regulation, New York, v. 51, p. 129-137, 2007.

HEYDECKER, W.; COOLBEAR, P. Seed treatments for improved performance - survey and attempted prognosis. Seed Science & Technology, Switzerland, v. 5, p. 353-425, 1977.

HOPKINS, H. C. F. Parkia (Leguminosae: Mimosoideae). The New York Botanical Garden, Flora Neotropica, New York: v. 43, p. 1-123, 1986.

JELLER, H.; PEREZ, S. C. J. G. A.; RAIZER, J. Water uptake, priming, drying and storage effects in Cassia excelsa Schrad seeds. Brazilian Journal of Biology, São Paulo, v. 63, n. 1, p. 61-68, 2003.

MARUYAMA, E.; UGAMOTO, M. Treatments for promoting germination of Parkia oppositifolia benht and Schizolobium amazonicum huber seeds. Journal of the Japanese Forestry Society, Tokyo, v. 71, n. 5, p. 209-211, 1989.

MAVI, K.; ERMIS, S.; DEMIR, I. the effect of priming on tomato rootstock seeds in relation to seedling growth. Asian Journal of Plant Sciences, Pakistan, n. 5, p. 940-947, 2006.

MURDOCH, A. J.; ELLIS, R. H. Dormancy, viability and longevity. In: FENNER, M. (Ed.) Seeds: the ecology of regeneration in plant communities. 2. ed. CABI Publishing: Wallingford, U.K. 2000. p. 183-214.

NASCIMENTO, W. M. Condicionamento osmótico de sementes de hortaliças: potencialidades e implicações. Horticultura Brasileira, Brasília. v. 16, n. 2, p. 106-109, 1998.

NASCIMENTO, W. M. Condicionamento osmótico de sementes de hortaliças. Embrapa Hortaliças, Brasília. 2004. 11 p. (Circular técnica 33. ISSN 1415-3033).

PINHO, D. S.; BORGES, E. E. L.; PONTES, C. A. Avaliação da viabilidade e vigor de sementes de Anadenanthera peregrina (L.) Speg. submetidas ao envelhecimento acelerado e ao osmocondicionamento. Revista Árvore, Viçosa, v. 34, n. 3, p. 425-434, 2010.

ROSA, L. S. Avaliação da germinação sob diferentes potenciais osmóticos e caracterização morfológica da semente e plântula de Ateleia glazioviana BAILL (timbó). Revista Árvore, Viçosa, v. 11, n. 3, p. 306-314, 2005.

SÁNCHEZ, J. A.; MUÑOZ, B.; MONTEJO, L. Efectos de tratamientos robustecedores de semillas sobre la germinación y establecimiento de árboles pioneros bajo condiciones de estrés. Ecotropicos, Venezuela, v. 16, n. 2, p. 91-112, 2003.

SANTANA, D. G.; RANAL, M. A. Análise da germinação: um enfoque estatístico. Editora Universidade de Brasília: Brasília, 2004. 248 p.

VARGAS, G. J. P.; FERRAZ, I. D. K. Hidrocondicionamento de Parkia pendula [Benth Ex Walp]: sementes com dormência física de árvore da Amazônia. Revista Árvore, Viçosa, v. 32, n. 1, p. 39-49, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509820667