Influência da inoculação de Fusarium spp. e níveis de sombreamento no crescimento e desenvolvimento da erva-mate

Igor Poletto, Marlove Fátima Brião Muniz, Denise Ester Ceconi, Ricardo Mezzomo, Johnathan Rodrigues

Resumo


A erva-mate (Ilex paraguariensis A. St.-Hil.) é uma espécie amplamente cultivada no sul do Brasil e países vizinhos. Suas folhas e galhos finos, preparados segundo método apropriado, fornecem o mate ou chimarrão, o mais popular chá consumido no Brasil e exportado para todo o mundo. Com o aumento da área plantada, sobretudo na última década, os problemas fitossanitários causados por pragas e doenças aumentaram e, dentre estes, a podridão-de-raízes vem se tornando um dos principais. A doença é causada por Fusarium spp. e provoca sérios danos decorrentes da destruição do sistema radicular, ocasionando, nos casos mais graves, morte da planta. A erva-mate é uma espécie que habita o sub-bosque da mata e o cultivo de forma homogênea a pleno sol pode ser um fator estressante ocasionando menor crescimento e desenvolvimento e também torná-la mais susceptível à podridão-de-raízes. Assim, foram instalados experimentos na área do Viveiro Florestal pertencente ao Departamento de Ciências Florestais da Universidade Federal de Santa Maria com o objetivo de confirmar tais hipóteses. O experimento foi desenvolvido em um esquema fatorial (2 x 5), composto pela inoculação de Fusarium spp. e por níveis de sombreamento. Foi observado que plantas submetidas aos menores níveis de sombreamento ou a pleno sol tiveram seu desenvolvimento prejudicado e ficaram mais suscetíveis à doença. As plantas inoculadas com Fusarium spp. tiveram menor desenvolvimento em comparação com as não inoculadas, especialmente nos menores níveis de sombreamento.


Palavras-chave


<i>Ilex paraguariensis</i>; mudas; parâmetros de crescimento

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, L. P. de. et al. Crescimento inicial de plantas de Cryptocaria aschersoniana Mez. submetidas a níveis de radiação solar. Ciência Rural, Santa Maria, v. 34, n. 1, p. 83-88, 2004.

ANDRADE, F. M. de. A exploração e utilização do recurso Ilex paraguariensis A. St.-Hil. (erva-mate), seus impactos sócio-econômicos atuais e potencialidades de manejo sustentável. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE RECURSOS FLORESTAIS DA MATA ATLÂNTICA, 1., 1999, São Paulo. Anais... São Paulo: Horto Florestal, 1999, p. 24-33.

BACKES, P.; IRGANG, B. Árvores do Sul: Guia de Identificação e Interesse Ecológico. 1. ed. Santa Cruz do Sul: Programa Clube da Árvore - Instituto Sousa Cruz, 2002. 325 p.

BRENA, D. A. et al. Influência da luminosidade na produção de erva-mate. In: CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL, 8., Nova Prata. Anais... Santa Maria: UFSM, 2002. 1 CD-ROM.

CARNEIRO, J. G. de A. Produção e qualidade de mudas florestais. Curitiba: UFPR, FUPEF, UNEF, 1995. 451 p.

CONTO, A. J. A estrutura da produção da erva-mate na região sul. In: CONGRESSO SUL-AMERICANO DA ERVA-MATE, 2.; REUNIÃO TÉCNICA DA ERVA-MATE, 3., 2000, Encantado. Anais... Porto Alegre: Edição dos organizadores, 2000, p. 210-214.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O Brasil estado por estado. Disponível em: . Acesso em: 14 de dez. 2007.

INOUE, M. T.; TORRES, D. V. Comportamento do crescimento de mudas de Araucaria angustifolia (Bertol.) Kuntze em dependência da intensidade luminosa. Revista Floresta, v. 11, n. 1, p. 5-9, 1980.

LIMA JUNIOR, E. de C. et al. Trocas gasosas, características das folhas e crescimento de plantas jovens de Cupania vernalis Camb. submetidas a diferentes níveis de sombreamento. Ciência Rural, Sant Maria, v. 35, n. 5, p. 1092-1097, 2005.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: Manual de Identificação e Cultivo de Plantas Arbóreas Nativas do Brasil. 2. ed., Nova Odessa: Plantarum, 1998. 352 p.

MACCARI JUNIOR, A. et al. Indústria ervateira no estado do Paraná – fornecimento de matéria-prima. Revista Acadêmica, v. 4, n. 1, p. 63-70, 2006.

MAZUCHOWSKI, J. Z. Influência de níveis de sombreamento e de nitrogênio na produção de massa foliar da erva-mate (Ilex paraguariensis A. St.-Hil). 2004, 130 f. Dissertação (Mestrado em Ciência do Solo), Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2004.

MAZUCHOWSKI, J. Z.; MACCARI JUNIOR, A.; SILVA, E. T. da. Influência de diferentes condições de radiação solar sobre o crescimento morfológico da erva-mate (Ilex paraguariensis A. St.-Hil.). In: CONGRESO SUL-AMERICANO DA ERVA-MATE, 3., Chapecó, 2003. Anais... Chapecó: EPAGRI, 2003. 1 CD-ROM.

POLETTO, I. et al. Primeira ocorrência de Pythium sp. e Rhizoctonia sp. causando podridão-de-raízes em ervais no Rio Grande do Sul. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 17, n. 1, p. 65-71, 2007.

POLETTO, I. et al. Zoneamento e identificação de Fusarium spp. causador de podridão-de-raízes em plantios de erva-mate (Ilex paraguariensis A. St.-Hil.) na região do Vale do Taquarí-RS. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 16, n. 1, p. 1-10, 2006.

ROTTA, E.; OLIVEIRA, Y. M. de. Cultivo da erva-mate – Distribuição geográfica. Disponível em: . Acesso 13 dez. 2007.

SCALON, S. de P. Q. et al. Desenvolvimento de mudas de aroeira (Schinus terebinthifolius) e sombreiro (Clitoria fairchildiana) sob condições de sombreamento. Ciência Agrotécnica, v. 30, n. 1, p. 166-169, 2006.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO. COMISSÃO DE QUÍMICA E FERTILIDADE DO SOLO – RS/SC. Manual de adubação e calagem para os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. 10. ed., Porto Alegre: SBCS, Comissão de Química e Fertilidade do Solo, 2004. 394 p.

STORK, L. Precisão experimental em erva-mate (Ilex paraguariensis A. St.-Hil.). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 12, n. 1, p. 159-161, 2002.

ZONTA, E. P.; MACHADO, A. D.; SILVEIRA JUNIOR, P. Sistema de análise estatística para microcomputadores: SANEST. Pelotas: UFPEL, 1984. (Registro SEI n. 06606-0 categoria AO).




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050982065