Estudo da regeneração natural de espécies arbóreas em fragmento de Floresta Ombrófila Densa, Mata das Galinhas, no município de Catende, zona da mata sul de Pernambuco.

Wegliane Campelo da Silva, Luiz Carlos Marangon, Rinaldo Luiz Caraciolo Ferreira, Ana Lícia Patriota Feliciano, Roberto Felix Costa Junior

Resumo


O estudo foi desenvolvido no fragmento denominado Mata das Galinhas, situado no município de Catende - PE, na mesorregião da mata pernambucana, mais precisamente na microrregião da mata úmida, a 142 Km da capital, nas coordenadas 8º69'06"S e 35º69'08" W, com altitude média de 199m. O relevo varia, predominantemente, de ondulado a forte ondulado. Os solos predominantes são classificados como latossolo vermelho distrófico e nitossolo vermelho associado ao latossolo. A vegetação é de Floresta Ombrófila Densa. Neste estudo, objetivou-se avaliar a regeneração natural de espécies arbóreas no fragmento florestal e verificar a diversidade e a estrutura das espécies no mesmo. Para a estimativa da regeneração natural das espécies arbóreas, foram locadas, de forma sistemática, 16 subparcelas de 25 m² (5 x 5 m), no centro de 16 unidades amostrais permanentes de 250 m2 (10,0 x 25,0 m), para o estudo da fitossociologia da comunidade arbórea adulta, com um distanciamento de 50 m entre si. O nível de inclusão foi de CAP < 15 cm, e a medição de altura (h) foi dividida em classes, em que a classe 1 contemplou indivíduos com 1,0 < h < 2,0 m, a classe 2 com indivíduos 2,0 < h < 3,0 m e a classe, 3 indivíduos com h > 3,0 m. Foram realizados os cálculos da suficiência amostral e da diversidade. No fragmento, foram amostrados 194 indivíduos, pertencentes a 31 famílias botânicas e a 60 espécies arbóreas. Destas, 42 foram identificadas em nível de espécie; 4,em nível de gênero; 2, em nível de família; e 2, indeterminadas. As dez espécies com maiores valores para regeneração natural Total da População Amostrada (RNT) representaram 53,78%, estando assim distribuídas: Brosimum discolor Schott (9,98%), Protium heptaphyllum (Aubl.) Marchand (9,19%), Eschweilera ovata (Cambess.) Miers (8,01%), Thyrsodium spruceanum Benth. (7,0%), Dialium guianense (Aubl.) Sandwith (5,44%), Erythroxylum squamatum Sw. (3,32%), Cupania revoluta Rolfe (3,16%), Sorocea hilarii Gaudich. (2,66%), Cordia nodosa Lam. (2,52%) e Tapirira guianensis Aubl. (2,50%). Tais espécies apresentaram capacidade de regeneração no fragmento, sendo que, no futuro, provavelmente, serão as principais responsáveis pela manutenção da estrutura e fisionomia da floresta. O índice de diversidade encontrado para o fragmento foi de 3,57 nats/ind.


Palavras-chave


regeneração natural; fitossociologia; Floresta Ombrófila Densa; fragmento

Texto completo:

PDF

Referências


BARREIRA, S. Estudo da regeneração natural de cerrado como base para o manejo florestal. 1999. 113 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, 1999.

BARREIRA, S.; SCOLFORO, J. R. S.; BOTELHO, S. A. et al. Estudo da estrutura da regeneração natural e da vegetação adulta de um cerrado senso stricto para fins de manejo florestal. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 61, p. 64-78, 2002.

CITADINI-ZANETTE, V. Fitossociologia e aspectos dinâmicos de um remanescente da Mata Atlântica na microbacia do Rio Novo, Orleans, SC. 1995. 236 f. Tese (Doutorado em Ecologia e Recursos Naturais) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 1995.

CONDEPE. Catende. Recife: CONDEPE, 1987. 62 p. (Monografias Municipais, 27).

COSTA-NETO, F. Subsídios técnicos para um plano de manejo sustentado em áreas de Cerrado. 1990. 142 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1990.

CRONQUIST, A. The evolution and classification of flowering plants. 2º. ed., New York: The New York Botanical Garden, 1988, 555 p.

EMBRAPA (Empresa Brasileira de pesquisa Agropecuária). Sistema Brasileiro de Classificação dos Solos. 2005. Disponível em: , acessado em 02/07/05.

FELFILI, J. M.; REZENDE, R. P. Conceitos e métodos em fitossociologia. Brasília: UNB, 2003. 68 p. (Comunicações Técnicas Florestais – ISSN, v.5, n.1).

FERREIRA, R. L. C. Análise estrutural da vegetação da estação florestal de experimentação de Açu-RN, como subsídio básico para o manejo florestal. 1988. 90 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1988.

FINOL, U. H. Nuevos parametros a considerarse en el analisis estrutural de las selvas virgenes tropicales. Revista Forestal Venezolana, Mérida, v. 18, n. 12, p. 29-42, 1971.

GAMA, J. R. V.; BOTELHO, S. A.; BENTES-GAMA, M. de M. et al. Tamanho de parcela e suficiência amostral para estudo da regeneração natural em floresta de várzea na Amazônia. Revista Cerne, Lavras, v. 7, n. 2, p. 001-011, 2001.

GUIMARÃES, F. J. P. Avaliação da estrutura de um fragmento florestal no município de Catende/PE. 2005. 60 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2005.

JARDIM, F. C. S. Mortalidade e crescimento na floresta equatorial de terra firme. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, Série Botânica, v. 6, n. 2, p. 227-234, 1990.

KAGEYAMA, P. Y.; GANDARA, F. B. Dinâmica de populações de espécies arbóreas para o manejo e a conservação. In: SIMPÓSIO DE ECOSSISTEMAS DA COSTA RASILEIRA, 3., 1993, São Paulo. Anais ... São Paulo: ACIESP, 1993. p. 1-9.

NAPPO, M. E.; FONTES, M. A. L.; OLIVEIRA-FILHO, A. T. de. Suficiência amostral e análise do tamanho de parcelas para o estudo da regeneração natural do sub-bosque de povoamentos homogêneos de Mimosa scabrella Benth., em área minerada, em Poços de Caldas-MG. Revista Árvore, Viçosa, v. 23, n. 4, p. 443-453, 1999.

RANTA, P.; BLOM, T.; NIEMELÃ, J. et al. The fragmented Atlantic rain forest of Brazil: size, shape and distribution of forest fragments. Biodiversity and Conservation, New York, v. 7, p. 385-403, 1998.

RONDON NETO, R. M.; BOTELHO, S. A.; FONTESA, M. A. L. et al. Estrutura e Composição Florística da Comunidade Arbustivo-Arbórea de uma Clareira de Origem Antrópica, em uma Floresta Estacional Semidecídua Montana, Lavras-MG, Brasil. Revista Cerne, Lavras, v. 6, n. 2, p. 79-94, 2000.

SANTANA, C. A. de A.; LIMA, C. C. D. de; MAGALHÃES, L. M. S. Estrutura horizontal e composição florística de três fragmentos secundários na cidade do Rio de Janeiro. Acta Scientiarum Biological Sciences, Maringá, v. 26, n. 4, p. 443-451, 2004.

SILVA JÚNIOR, J. F. Estudo fitossociológico em um remanescente de floresta atlântica visando dinâmica de espécies florestais arbóreas no município do Cabo de Santo Agostinho, PE. 2004. 84 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2004.

SWAINE, M. D.; HALL, J. B. The Mosaic theory of forest regeneration and the determination of forest composition in Ghana. Journal of Tropical Ecology, Cambridge, v. 4, p. 253-269, 1988.

VOLPATO, M. M. L. Regeneração natural em uma floresta secundária no domínio de Mata Atlântica: uma análise fitossociológica. 1994. 123 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050981964