Altura do ipê-roxo (Tabebuia avellanedae) nos manejos convencional e de precisão, analisada pela geoestatística.

Wagner Lopes Klein, Eduardo Godoy de Souza, Miguel Angel Uribe-Opazo, Lúcia Helena Pereira Nóbrega

Resumo


A silvicultura de precisão visa aumentar a eficiência da produção agrícola, fundamentada em manejo diferenciado de áreas de agricultura. O objetivo deste trabalho foi analisar e comparar o desenvolvimento do ipê roxo (Tabebuia avellanedae Lorentz ex Griseb.) sob duas formas de manejo de solo. A análise foi realizada durante o período de 01/03/03 a 01/03/04 em uma área no município de Mundo Novo-MS, dividida em dois blocos, e cada bloco em duas parcelas: uma sob manejo de silvicultura de precisão e outra sob manejo convencional. Cada uma das parcelas recebeu 252 mudas de ipê-roxo, totalizando 1008 plantas. Utilizaram-se técnicas geoestatísticas como semivariogramas para análise da estrutura da variabilidade espacial dos dados e a interpolação por krigagem para a construção de mapas temáticos. Dos resultados obtidos, tem-se que os mapas de necessidade e aplicação de nutrientes e os mapas de incremento na altura das plantas apresentaram estrutura de variabilidade semelhante para ambos os manejos. Nenhuma diferença expressiva entre os tratamentos foi encontrada.


Palavras-chave


silvicultura de precisão; mapas temáticos; variabilidade espacial

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, L.M. Manual sobre princípios de recuperação vegetal de áreas degradadas. São Paulo: SMA/CEAM/CIMP, 2000. 76 p.

CAMARGO, P.M.; LEKOVIC, V.; WEINLAENDER, M. et al. Platelet-rich plasma and bovine porous bone mineral combined with guided tissue regeneration in the treatment of intrabony defects in humans. Journal of Periodontal Research. Hilgardia, Berkeley, v. 37, p. 300-306, 2002.

CRESTANA, M.S.M.; TOLEDO-FILHO, D.V.; CAMPOS, J.B. Florestas: Sistemas de recuperação com essências nativas. Campinas: CATI, 1993. 60 p.

EMBRAPA - Serviços Nacional de Levantamento e Conservação de Solos. Centro Nacional de Pesquisa de Solos.Manual de métodos de análise de solo. 2 ed. Ver. Atual. Rio de Janeiro: EMBRAPA-CNPS, 1997. 212 p. (Documentos; 1).

GLUFKE, C. Espécies florestais recomendadas para recuperação de áreas degradadas. Porto Alegre: Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, 1999. 48 p.

GOMES, F.P. Estatística aplicada a experimentos agronômicos e florestais. 1. ed., São Paulo: Fealq, 2002. 309 p.

GONÇALVES, J. L. M. Relatório de pesquisa sobre nutrição mineral de espécies nativas. Piracicaba: Convênio CESP-ESALQ-IPEF, 1994. 25 p.

KRIGE, D.G. A statistical approch to some basic mine evalutation problems on the Witwatersrand. Johanesburg Chemistry Metallurgy Mining Society South African, v.52, n.6, p.119-139, 1951.

MALAVOLTA, E. Manual de calagem e adubação das principais culturas. São Paulo: Ed. Agronômica Ceres, 1987. 496 p.

MATHERON, G. Le paramétrage des contours optimaux. Technique notes 401 et 403. Foitainebleau, France: Centre de Géostatistique de l’Ecole des Mines de Paris, 1959. p. 19-54.

MATO GROSSO DO SUL. Secretaria de Estado da Agricultura. Centro de Pesquisa de Solo. Manual de análise de solos. 2 ed. Campo Grande: SEPLAM, 2003. p 9-18.

MORAES, D.A.A.; MIGLIARI, A.C. Reposição florestal para a melhoria da qualidade ambiental municipal. Brasília: Ministério da Agricultura, Secretaria de Desenvolvimento Rural, Projeto Novas Fronteiras do Cooperativismo, 1997. 16 p.

ORTIZ, J.L.; VETTORAZZI. C.A.; DO COUTO, H.T.Z. et al. Silvicultura de precisão: relação entre o potencial produtivo de um povoamento de eucalipto e atributos do solo e do relevo. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGRICULTURA DE PRECISÃO, 2004, Piracicaba. Anais… Piracicaba. Esalq/USP, 2004.

QUEIROZ, D.M.; DIAS, G.P.; MATOVANI, E.C. Agricultura de precisão na produção de grãos. In: BORÉM, A.; GIÚDICE, M.P.; QUEIROZ, D.M. Agricultura de precisão. Viçosa: Editora UFV, 200. p.65-75.

RIBEIRO JUNIOR, P.J. Método geoestatístico no estudo da variabilidade espacial de parâmetros do solo. 1995. 99 f. Dissertação (Mestrado em Agricultura de Precisão) - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz/USP. Piracicaba, 1995.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Estado da Agricultura. Instituto de Pesquisas de Recursos Renováveis Ataliba Paz. Plantio de espécies florestais. 2 ed. Porto Alegre: IPRNR, 1985. p.5-16.

SOUZA, E.G.; JOHANN, J.A.; ROCHA, J.V. et al.Variabilidade espacial dos atributos químicos do solo em um Latossolo Roxo distrófico da região de Cascavel - PR. Revista Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v. 18, n.3, p. 80-92, 1999.

TAYLOR, S.E.; VEAL, M.V.; GRIFT, T.E. et al. Precision Forestry: Operational Tactics for Today and Tomorrow. In: 25th ANNUAL MEETING OF COUNCIL ON FOREST ENGINEERS, 25th, 2002, Alburn. Anais… Alburn: Council on Forest Engineers, 2002.

VETTORAZZI, C.A.; FERRAZ, S.F.B. Silvicultura de precisão: uma nova perspectiva para o gerenciamento de atividades florestais. In: BORÉM, A.; GIÚDICE, M.P.; QUEIROZ, D.M. Agricultura de precisão. Viçosa: Editora UFV, 2000. p.65-75.

VIEIRA, S.R.; LOMBARDI NETO, F. BURROWS, I.T. Mapeamento da chuva máxima provável para o Estado de São Paulo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v.15, n.11, p.93-98, 1998.

WOLLENHAUPT, N.C.; MULA, D.J.; GOTWAY CRAWFORD, C.A.R.P. Soil Sampling and interpolation tecniques for mapping spatial variability of soil properties. In: PIERCE, F. J.; SADLER, E. J. (eds.) The state of site specific management for agriculture. Madison: American Society of Agronomy, 1997. 430p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050981962