Classificação e caracterização de estágios sucessionais em remanescentes de Floresta Ombrófila Mista na Flona de São Francisco de Paula, RS, Brasil.

Solon Jonas Longhi, Doádi Antônio Brena, Juliana Fernandes Gomes, Igor da Silva Narvaes, Gabriel Berger, Artur José Soligo

Resumo


O presente trabalho integra o conjunto de estudos e pesquisas previstas no Projeto Ecológico de Longa Duração - PELD/CNPq, instalado FLONA de São Francisco de Paula, RS. Teve como objetivo identificar e caracterizar os diferentes estágios sucessionais de remanescentes de Floresta Ombrófila Mista. O trabalho foi realizado em dez conglomerados permanentes de 100m x 100m (10.000m2), os quais foram divididos em dez faixas de 10m x 100m (1.000m2) e estas subdivididas em dez subunidades de 10m x 10m (100m2). Para a presente pesquisa, foi sorteada uma faixa de 10m x 100m para cada conglomerado, totalizando cem subunidades amostrais (parcelas) onde foram instaladas, na altura do DAP, bandas (cintas) dendrométricas em todas as árvores com CAP > 30cm, para medição anual dos diâmetros. A análise de agrupamento foi realizada por meio do programa Twinspan, utilizando uma matriz de dados com 99 parcelas (uma foi desconsiderada por não apresentar indivíduos com CAP > 30cm) tendo como variável o incremento anual em diâmetro (obtido de 2 anos de observação) de 69 espécies. Obtiveram-se três grupos florísticos que indicaram estágios sucessionais na floresta: um grupo separou um estágio sucessional menos evoluído denominado de mata secundária, tendo Nectandra megapotamica e Cryptocarya aschersoniana como espécies indicadoras; um segundo grupo indicando um estágio sucessional intermediário da floresta, com Sebastiania commersoniana e Ocotea pulchella como espécies indicadoras; e um terceiro grupo constituído da floresta primária cuja espécie indicadora foi Araucaria angustifolia.


Palavras-chave


agrupamento; crescimento; manejo florestal

Texto completo:

PDF

Referências


COLLETT, N. Biology and control of psyllids, and the possible causes for defoliation of Eucalyptus camaldulensis Dehnh. (river red gum). Australian Forestry, v. 64, n. 2, p. 88-95, 2001.

DAHLSTEN, D.L. Biological control of the red gum lerp psyllid, a pest of Eucalyptus species in California. The regents of the University of California. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2005.

DAHLSTEN, D.L.; DREISTADT, S.H.; GARRISON, R.W.; GILL, R.J. Eucalyptus Redgum lerp psyllid. Pest Notes, n. 7460, 2003.

DAHLSTEN, D.L.; ROWNEY, D.L. The red gum lerp psyllid, a new pest of Eucalyptus species in California, 2000. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2005.

FERREIRA FILHO, P.J.; COUTO, E.B.; WILCKEN, C.F.; MATOS, C.A.O.; DAL POGETTO, M.H.F.A. Eficiência de inseticidas sistêmicos no controle de psilídeo-de-concha Glycaspis brimblecombei (Hemiptera: Psyllidae) em eucalipto. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENTOMOLOGIA, 20., Gramado. Anais... Gramado: Sociedade Entomológica do Brasil, 2004. p. 458.

NAGAMINE, W.T.; HEU, R.A. Red gum lerp psyllid. New pest advisory, n. 1-2, p. 1-2, 2001.

SANTANA, D.L.Q.; CARVALHO, R.C.Z.; FAVARO, R.M.; ALMEIDA, L.M. Glycaspis brimblecombei (Hemiptera: Psyllidae) e seus inimigos naturais no Paraná. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENTOMOLOGIA, 20., Gramado. Anais... Gramado: Sociedade Entomológica do Brasil, 2004. p. 450.

WILCKEN, C.F.; COUTO, E.B.; ORLATO, C.; FERREIRA FILHO, P.J.; FIRMINO, D.C. Ocorrência do psilídeo-de-concha (Glycaspis brimblecombei) (Hemiptera: Psyllidae) em florestas de eucalipto no Brasil. Piracicaba: IPEF, 2003. p. 01-11 (Série Técnica IPEF; n. 201).




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050981893