ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS DA PODRIDÃO-DE-RAÍZES DA ERVA-MATE (Ilex paraguariensis)

Igor Poletto, Marlove Fátima Brião Muniz, Denise Ester Ceconi, Tales Poletto

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/1980509818445

A podridão-de-raízes da erva-mate, causada por Fusarium spp., Rhizoctonia sp. e Pythium sp., é a principal doença da cultura e causa sérios prejuízos em viveiro e a campo. No entanto, existem poucos estudos referentes à epidemiologia dessa doença. Assim, o presente trabalho teve por objetivo estudar e descrever os principais aspectos epidemiológicos relacionados à podridão-de-raízes da erva-mate em viveiro e a campo. Para isso, foram demarcados para estudo ervais e viveiros localizados na região alta do Vale do Taquari - RS, nos quais se procedeu a coleta de flores, frutos, sementes, plântulas, mudas e substrato para análises laboratoriais. Observou-se que as flores podem ser a porta de entrada dos patógenos no patossistema, pois 80% delas apresentaram contaminação por Fusarium sp. e 15% por Rhizoctonia sp. Além disso, o método de obtenção e estratificação das sementes, utilizado pelos viveiristas, contribuem para o aumento da contaminação, chegando a 100% das sementes no momento da semeadura. Observou-se, também, que as mudas podem estar contaminadas, mesmo não apresentando sintomas e, ao serem replantadas a campo, venham a contaminar áreas livres dos patógenos. Os testes de patogenicidade com alguns isolados mostraram sua capacidade em causar a doença.


Palavras-chave


ervais; proteção florestal; viveiros.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, F. M. de. A exploração e utilização do recurso Ilex paraguariensis A. St.-Hil. (erva-mate), seus impactos sócio-econômicos atuais e potencialidades de manejo sustentável. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE RECURSOS FLORESTAIS DA MATA ATLÂNTICA, 1., 1999, São Paulo. Anais... São Paulo: Horto Florestal, 1999, p. 24-33.

ANJOS, J. de R. N. dos; CHARCHAR, M. J. d’ÁVILA. Patogenicidade de isolados de Fusarium sacchari de Mangueira do Cerrado do Brasil Central. Planaltina: Embrapa Cerrados, 2007. 14 p. (Documentos, 180).

ÁVILA, A. L. de. et al. Maturação fisiológica e coleta de sementes de Eugenia uniflora L. (Pitanga). Ciência Florestal, Santa Maria, v. 19, n. 1, p. 61-68, 2009.

AZEVEDO, F. A. de. et al. Controle químico de Colletotrichum acutatum em Laranja-doce-barão. Laranja, v. 29, n. 1-2, p. 23-34. 2008.

BARNETT, H. L.; HUNTER, B. B. Ilustrated genera of imperfect fungi. 4th ed. St. Paul: American Phytopathological Society, 1999. 218 p.

BARROWS-BROADDUS, J.; DWINELL, L. D. Branch Dieback and Cone and seed infection caused by Fusarium moniliforme Sheld. var. subgutinans in a Loblolly-pine seed orchard in South Carolina. Phytopathology, v. 75, n. 10, p. 1104-1108, 1985.

BENETTI, S. C. et al. Levantamento de fungos em sementes de Cedro e avaliação da patogenicidade de Fusarium sp. e Pestalotia sp. Pesquisa Florestal Brasileira, n. 58, p. 81-85, 2009.

BRASIL. Ministério da Agricultura. Divisão de Pesquisas Pedológicas. Levantamento de reconhecimento dos solos do estado do Rio Grande do Sul. Recife: MA/DPP-AS/DRNR, 1973. 431 p.

CARNEIRO, J. G. de A. Produção e controle de qualidade de mudas florestais. Curitiba: UFPR/FUPEF, 1995. 451 p.

CRAM, M. M.; FRAEDRICH, S. W. Seed diseases and seedborne pathogens of North America. Tree Planters’s Notes, v. 53, n. 2, p. 35-44. 2009.

FEICHTENBERGER, E. et al. Doenças dos Citros. In: KIMATI, H. et al. (Ed.) Manual de Fitopatologia: Doenças de plantas cultivadas. 4. ed. São Paulo: Agronômica Ceres, 1995. p. 239-269.

FERREIRA, J. B. F.; ABREU, M. S. de; PEREIRA, I. S. Incidência de Colletotrichum spp. em frutos de Coffea arabica L. em diferentes estádios fisiológicos e tecidos do fruto maduro. Ciência e Agrotecnologia, v. 29, n. 4, p. 880-885. 2005.

GOMES, N. S. B. et al. Patogenicidade de Colletotrichum acutatum em folhas destacadas de erva-mate. Boletim de Pesquisas Florestais, n. 43, p. 151-154, 2001.

GRAHAM, J. H.; LINDERMAN, R. J. Pathogenic seedborne Fusarium oxysporum from Douglas-fir. Plant Disease, v. 67, p. 323-325, 1983.

GRIGOLETTI JUNIOR, A.; AUER, C. G.; MASCHIO, L. M. A. Doenças em erva-mate (Ilex paraguariensis A. St.-Hill) na região sul do Brasil. Boletim de Pesquisa Florestal, n. 32/33, p. 43-51, 1996.

HOEFNAGELS, M. H.; LINDERMAN, R. G. Biological suppression of seedborne Fusarium spp. during cold stratification of Douglas-fir seeds. Plant Disease, v. 83, n. 9, p. 845-852, 1999.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estados@. Disponível em: . Acesso em: 23 de mar. 2012.

LUZ, E. D. M. N. et al. Doenças causadas por Phytophthora no Brasil. Campinas: Livraria e Editora Rural, 2001. 754 p.

MAFFIA, L. A.; MIZUBUTI, E. S. G. Epidemiologia de doenças radiculares. In: MICHEREFF, S. J.; ABDRADE, D. E. G. T.; MENEZES, M. (Ed.) Ecologia e manejo de patógenos radiculares em solos tropicais. Recife: UFRPE, 2005. p. 209-246.

MARTINELLI-SENEME, A. et al. Germinação e sanidade de sementes de Bauhinia variegata. Revista Árvore, v. 30, n. 5, p. 710-724, 2006.

MARTINS-CORDER, M. P.; MELO, I. S. Antagonismo in vitro de Trichoderma spp. a Verticillium dahliae KLEB. Scientia Agrícola, v. 55, p. 1-7, 1998.

MELO, I. S. de. Agentes microbianos de controle de fungos fitopatogênicos. In: MELO, I. S. de; AZEVEDO, J. L. de. (Ed.) Controle Biológico. Jaguariúna: EMBRAPA, 1998. p. 17-67.

MICHAILIDES, T. J.; ELMER, P. A. G. Botrytis gray mold of kiwifruit caused by Botrytis cinerea in the United States and New Zealand. Plant Disease, v. 84, n. 3, p. 208-223, 2000.

MORAL, J.; OLIVEIRA, R. de; TRAPEDO, A. Elucidation of the disease cycle of Olive Anthracnose caused by Colletotrichum acutatum. Phytopathology, v. 5, n. 5, p. 548-556, 2009.

MORENO, J. A. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura, 1961. 41p.

PIVETA, G. et al. Superação de dormência na qualidade de sementes e mudas: influência na produção de Senna multijuga (L. C. Rich.) Irwin & Barneby. Acta Amazônica, v. 40, n. 2, p. 281-288, 2010.

POLETTO, I. et al. Primeira ocorrência de Pythium sp. e Rhizoctonia sp. causando podridão-de-raízes em ervais no Rio Grande do Sul. Ciência Florestal, v. 17, n. 1, p. 65-71, 2007.

POLETTO, I. et al. Zoneamento e identificação de Fusarium spp. causador de podridão-de-raízes em plantios de erva-mate (Ilex paraguariensis A. St.-Hil.) na região do Vale do Taquarí-RS. Ciência Florestal, v. 16, n. 1, p. 1-10, 2006.

REGO, S. S. et al. Fungos associados a frutos e sementes de imbuia (Ocotea porosa Ness. L. Barroso). Summa Phytopathologica, v. 34, n. 4, p. 378, 2008.

SENEME, A. M. et al. Germinação, qualidade sanitária e armazenamento de sementes de canafístula (Peltophorum dubium). Revista Árvore, v. 36, n.1, p. 01-06, 2012.

SILVA, L. G. da. et al. Efeito do tratamento químico na sanidade de sementes de espécies florestais. Ciência Florestal, v. 21, n. 3, p. 473-478, 2011.

STRECK, E. V. et al. Solos do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: EMATER/RS; UFRGS 2002. 126 p.

TANAKA, M. A. S. Técnicas auxiliares em laboratório de patologia de sementes. In: SOAVE, J.; WETZEL, M. M. V. da S. (Ed.). Patologia de sementes. São Paulo: Fundação Cargill, 1987. 480 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509818445

Licença Creative Commons