Qualidade da madeira serrada na região da Quarta Colônia de Imigração Italiana do Rio Grande do Sul.

Darci Alberto Gatto, Elio José Santini, Clovis Roberto Haselein, Miguel Antão Durlo

Resumo


Este estudo foi conduzido com o objetivo de avaliar a qualidade da madeira serrada produzida na Região da Quarta Colônia de Imigração Italiana no Rio Grande do Sul. Três empresas que processam madeiras de pinus foram analisadas com respeito à operação de desdobro e método de secagem empregados, e o teor de umidade da madeira industrializada. Constatou-se que a secagem ao ar livre é o principal método empregado na região, e os defeitos resultantes influenciam negativamente na qualidade da madeira serrada, o que sugere a necessidade de ajustes no método. No entanto, o teor de umidade médio da madeira está dentro dos padrões recomendados para a secagem ao ar livre. Em torno de 75% da madeira serrada na Região, quando úmida, foi classificada como de primeira qualidade. Depois de seca, contudo, apenas 45% das peças foram classificadas como de primeira qualidade e 45% de terceira, sendo os 10% restante incluídos nas categorias super, extra e segunda qualidade.


Palavras-chave


indústria da madeira; madeira serrada; qualidade da madeira; secagem ao ar

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS . NBR 11700: madeira serrada de coníferas provenientes de reflorestamento, para uso geral. Rio de Janeiro, 1991a. 6p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS . NBR 12297: madeira serrada de coníferas provenientes de reflorestamento, para uso geral : medição e quantificação de defeitos. Rio de Janeiro, 1991b. 6p.

BROWN, N. C.; BETHEL, J. S. La industria maderera. Mexico: Limusa, 1975. 388 p.

DURLO, M. A.; MARCHIORI, J. N. C. Tecnologia da madeira: retratibilidade. Santa Maria: UFSM, CEPEF/FATEC, 1992. 33p (Série Técnica, 10).

DUCATTI, M. A.; JANKOWSKY, I. P.; ANDRADE, A. Condições da secagem convencional em indústrias madeireiras no município de Tietê, SP. Scientia Forestalis, n.59, p 101-113, jun. 2001.

ELEOTÉRIO, J. R.; STORCK, L., LOPES; S. J. Caracterização de peças de madeira produzidas em serraria visando o controle de qualidade. Ciência Florestal, v. 6, n. 1, p 89-99, 1996.

FERNANDES, P. de S. Variação de densidade da madeira e suas relações com as tensões de crescimento em progênies de Eucalyptus urophilla S. T. Blake. 1982. 85f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – ESALQ, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 1982.

GALVÃO, A. P. M.; JANKOWSKY, I. P. Secagem racional da madeira. São Paulo, 1985. 111p.

GALVÃO, P. M. Aspectos fundamentais do uso e da comercialização da madeira de pinus no Brasil. In: SIMPÓSIO FLORESTAL DO RIO GRANDE DO SUL – TECNOLOGIA DA MADEIRA, 2., 1992, Santa Maria. Anais... Santa Maria: CEPEF/FATEC, 1992. p. 30-39.

GATTO, D. A. Avaliação quantitativa e qualitativa da utilização madeireira na região da Quarta Colônia de imigração italiana no Rio Grane do Sul. 2002. 108f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2002.

GOMIDE, J. L. Serraria. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, Escola Superior de Florestas, 1974. 119p. (apostila).

GROSSER, D. Defeitos da madeira. Curitiba: FUPEF, 1980. 63p. (Serie Técnica, 2).

IBGE – INSTITUDO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATISTICA. Cadastro central de empresas: web site do Instituto Brasileiro/ empresas.htm, 2001. Disponível em: www.ibge.gov.br .

JANKOWSKY, I. P. O controle do processo de secagem. In: SIMPÓSIO FLORESTAL DO RIO GRANDE DO SUL – TECNOLOGIA DA MADEIRA, 2., 1992, Santa Maria. Anais... Esteio: UFSM/AGEFLOR/ CEPEF/FATEC, 1992. p. 9-29.

LOPES, M. C. Estágio supervisionado em Engenharia Florestal. 2000. 47f. Relatório (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2000.

MARTINS, V. A. Secagem de madeira serrada. Brasília: Gutenberg, 1988. 56p.

MENDES, A. de S.; MARTINS, V. A.; MARQUES, M. H. B. Programa de secagem para madeiras brasileiras. Brasília, 1998. p. 23-28.

MENEZES, L. F. Desdobro, secagem e beneficiamento da madeira de eucalipto: experiência da Flosul. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE PRODUTOS SÓLIDOS DE MADEIRA DE ALTA TECNOLOGIA, 1. E ENCONTRO SOBRE TECNOLOGIAS APROPRIADAS DE DESDOBRO, SECAGEM E UTILIZAÇÃO DA MADEIRA DE EUCALIPTO, 1., 1998, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: SIF/UFV/DEF, 1998. p 261-265.

PONCE, R. H. Tecnologia de desdobro de pinus e eucaliptos a busca da competitividade. In: SIMPÓSIO FLORESTAL DO RIO GRANDE DO SUL – TECNOLOGIA DA MADEIRA, 2., 1992, Esteio. Anais... Santa Maria: UFSM/AGEFLOR/CEPEF/FATEC, 1992. p. 154-162.

SANTINI, E. J. Métodos de secagem de madeira. In: SEMINÁRIO SOBRE SECAGEM DE MADEIRA, 1., 1990, Santa Maria. Anais... Santa Maria: UFSM/CEPEF/FATEC, 1992. p. 47-59.

STUMPP, E. Curso de secagem. In: SEMINÁRIO SOBRE SECAGEM DE MADEIRA, 1., 1990, Santa Maria. Anais... Santa Maria, 1992. p.75-100.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050981795