Estimativa do volume de madeira partindo do diâmetro da cepa em uma área explorada de Floresta Amazônica de Terra Firme.

Flávia Saltini Leite, Alba Valéria Rezende

Resumo


O objetivo deste estudo foi estimar o volume de árvores de uma floresta tropical de terra firme, considerando apenas o diâmetro da cepa (d0) como variável independente. A área de estudo está localizada no município de Breu Branco, PA. Um total de 113 árvores com DAP ≥ 51 cm, pertencentes a diferentes espécies e classes de diâmetro, foram cubadas rigorosamente. A cubagem rigorosa foi feita pelo método de Hohenadl, considerando a divisão do tronco comercial em dez seções de comprimentos iguais e o cálculo do volume de cada seção da tora foi feito pela fórmula de Smalian. Equações de volume foram ajustadas para estimar o volume comercial das árvores em função de d0e também em função do DAP, para efeito de comparação. Os resultados mostraram que d0 apresentou boa relação com o volume comercial de árvores em floresta de terra firme, e pode ser utilizado no ajuste de modelos matemáticos visando a estimar o volume comercial de árvores. Não foi observada diferença significativa entre os valores reais de volume comercial de árvores e os volumes estimados, gerados partindo de uma equação linear ajustada em função de d0, demonstrando que é possível obter com precisão, informações de volume partindo de d0.


Palavras-chave


Floresta Amazônica; equações volumétricas; diâmetro da cepa; fiscalização de desmatamento

Texto completo:

PDF

Referências


CAMPOS, J. C. C.; LEITE, H. G. Mensuração florestal: perguntas e respostas. 2.ed. Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa, 2006. 470p.

DRAPPER, N. R.; SMITH, H. Applied regression analysis. New York, John Willey & Sons, 1981. 709p.

FUNDAÇÃO FLORESTA TROPICAL, CIKEL E PRECIOUS WOOD. Manejo Florestal Sustentável e Exploração de Impacto Reduzido na Amazônia Brasileira. Rev. Elo. Disponível em: . Acesso em: 21/09/2006.

GALLETTI Compensados Ltda. Plano de Manejo Florestal Sustentável (Reformulação do PMFS protocolado sob o número 02018005170/00-54). Breu Branco, PA. 2003. 37p.

GREENPEACE. Face a face com a destruição: relatório Greenpeace sobre as companhias multinacionais madeireiras na Amazônia Brasileira. São Paulo: 1999. 21 p.

HIGUCHI, N.; RAMM W. Developing bole wood volume equations for a group of tree species of Central Amazon (Brazil). Commonw, 64 (1), 1985. 33 – 41p.

HIGUCHI, N. Amazônia Interesses e Conflitos - Manejo florestal na Amazônia. 2000. Disponível em:. Acesso em: 20/10/2006.

HIGUCHI, N. Usando o método “Jackknife” para estimar volume de madeira da floresta Amazônica. In: 24ª Reunião regional da associação brasileira de estatística – 12ª Semana do estatístico, 1992, Manaus. Proceedings… Manaus: ATAS, 1992. p.42–56.

MENEZES, N. P.; SILVA, J. N. M. Equações de volume para florestas de terra firme nos municípios de Tailândia e Paragominas. In: Seminário de Iniciação Científica da Ufra, 1. Seminário de Iniciação Científica da Embrapa Amazônia Oriental, 7, Belém, PA. Resumos Expandidos. Belém: Universidade Federal Rural da Amazônia. 2003. 4p.

ROLIM, S.G. et al. Modelos volumétricos para a Floresta Nacional do Tapirapé-Aquirí, Serra dos Carajás (PA). Acta Amazônica, Manaus, v. 36, n. 1, 2006.




DOI: https://doi.org/10.5902/198050981762

Licença Creative Commons