ARMAZENAMENTO DE SEMENTES DE IPÊ-AMARELO-DO-BREJO (Handroanthus umbellatus (Sond.) Mattos. Bignoniaceae)

Cibele Chalita Martins, Monalisa A. D. da Silva Camargo Pinto

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/1980509815725

A manutenção da viabilidade das sementes por meio do armazenamento, em condições de ambiente controlado, representa uma das linhas de pesquisa mais importantes para espécies florestais com sementes pouco longevas como as das espécies do gênero Handroanthus. Nesse trabalho procurou-se identificar o comportamento das sementes quanto à longevidade e à condição mais adequada para o armazenamento de sementes de Handroanthus umbellatus. As sementes foram secas até 6,3% de teor de água e submetidas aos seguintes tratamentos de armazenamento: acondicionamento em sacos de papel unifoliado (permeável) em condições não controladas de temperatura e umidade relativa de laboratório (testemunha) e multifoliados (semipermeável) nas temperaturas de -18ºC, 1ºC e 25oC. As sementes armazenadas foram avaliadas trimestralmente até 24 meses quanto ao teor de água, à porcentagem de germinação e ao vigor por meio do teste da primeira contagem. As sementes de Handroanthus umbellatus são ortodoxas, mas de baixa longevidade em condições naturais, pois se mantêm viáveis no ambiente por menos que 5 meses. A melhor condição para a conservação de sementes dessa espécie foi obtida com o armazenamento a -18ºC em sacos multifoliados, que manteve praticamente inalterada a qualidade fisiológica das sementes por 24 meses.


Palavras-chave


Tabebuia umbellata; Handroanthus eximius; conservação de sementes; vigor.

Texto completo:

PDF

Referências


BORBA FILHO, A. B; PEREZ, S. C. J. G. A. Armazenamento de sementes de ipê-branco e ipê-roxo em diferentes embalagens e ambientes. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 31, n. 1, 2009.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para Análise de Sementes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília, DF: Mapa/ACS, 2009. 395 p.

CABRAL, E. L.; BARBOSA, D. C. A.; SIMABUKURO, E. A. Armazenamento e germinação de sementes de Tabebuia aurea (Manso) Benth. & Hook. F. ex. S. Moore. Acta Botanica Brasilica, Feira de Santana, v. 17, n. 4, p. 609-617, 2003.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 4. ed. Jaboticabal: FUNEP, 2000. 588 p.

DEGAN, P. et al. Influência de métodos de secagem na conservação de sementes de ipê-branco. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 5, p. 492-496, 2001.

DEGAN, P. et al. Composição química, sanidade, secagem e germinação de sementes de ipê-branco (Tabebuia roseo-alba (Ridl.) Sand. Bignoniaceae). Revista Brasileira de Horticultura Ornamental, Campinas, v. 3, n. 1, p. 41-47, 1997.

DELOUCHE, J. C. Precepts of seed storage. In: INTERNATIONAL SATELLITE SYMPOSIUM SEED SCIENCE AND TECHNOLOGY, 1990, Hisar. Proceedings… Hisar, 1990, p.71-90.

DOIJODE, S. D. Seed storage of horticultural crops. New York: Food Products Press, 2001, 329 p.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Plantarum, 1992. 252 p.

MARQUES, M. A. et al. Comportamento germinativo de sementes de ipê-amarelo [(Tabebuia chrysotricha (Mart.) Standl.] secadas em câmara seca, armazenadas em diferentes ambientes e submetidas a sete níveis de potencial osmótico. Científica, Jaboticabal, v.32, p.127-133, 2004.

MARTINS, L.; LAGO, A. A.; CÍCERO, S.M. Conservação de sementes de ipê-roxo. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.16, n. 1, p.108–112, 2012.

MARTINS, L.; LAGO, A. A.; ANDRADE, A. C. S. Armazenamento de sementes de ipê-branco: teor de água e temperatura do ambiente. Braganthia, Campinas, v. 68, n. 3, p.775-780, 2009b.

MARTINS, L.; LAGO, A. A.; SALES, W. R. M. Conservação de sementes de ipê-amarelo (Tabebuia chrysotricha (Mart. ex A. DC.) Standl.) em função do teor de água das sementes e da temperatura do armazenamento. Revista Brasileira de sementes, Londrina, v. 31, n. 2, p. 86-95, 2009a.

MARTINS, C. C.; MARTINELLI-SENEME, A.; NAKAGAWA, J. Estágio de colheita e substrato para o teste de germinação de sementes de ipê (Tabebuia chrysotricha (Mart. ex DC.) Standl.). Revista Árvore, v. 32, n. 1, p. 27 - 32, 2008.

MEDEIROS, A. C. S; NOGUEIRA, A. C. Planejamento da coleta de sementes florestais nativas, Colombo: Embrapa florestas, 2006, 9 p. (Embrapa florestas. Circular Técnica, 126).

MELLO, C. M. C.; EIRA, M. T. S. Conservação de sementes de ipês (Tabebuia spp.). Revista Árvore, Viçosa, v. 19, n. 4, p. 427-432, 1995.

OLIVEIRA, A. K. M.; SCHELEDER, E. D.; FAVERO, S. Caracterização morfológica, viabilidade e vigor de sementes de Tabebuia aurea (Silva Manso) Benth. & Hook. f. ex. S. Moore. Revista Árvore, Viçosa, v. 30, n. 1, p. 25-32, 2006.

SILVA, A. da et al. Liofilização e armazenamento de sementes de ipê-rosa (Tabebuia heterophylla (A.P. Cabdolle) Britton) - Bignoniaceae. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v. 23, n. 1, p. 252-259, 2001.

SILVA, D. G. et al. Alterações fisiológicas e bioquímicas durante o armazenamento de sementes de Tabebuia serratifolia. Cerne, Lavras, v. 17, n. 1, p. 1-7, 2011.

SOUZA, V. C.; BRUNO, R. L. A.; ANDRADE, L. A. Vigor de sementes armazenadas de ipê-amarelo Tabebuia serratifolia (Vahl.) Nich. Revista Árvore, Viçosa, v. 29, n. 6, p 833-841, 2005.

WETZEL, M. M. V. S. et al. Metodologia para criopreservação de sementes de espécies florestais nativas. Brasília, DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 2003, 5 p. (Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. Circular Técnica, 26).




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509815725