Biomassa e acúmulo de nutrientes em Ilex paraguariensis A. St. Hil.

Braulio Otomar Caron, Danilo Rheinheimer dos Santos, Denise Schmidt, Claudir José Basso, Alexandre Behling, Elder Eloy, Rogerio Bamberg

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/1980509814565

Ainda são poucas as informações sobre a influência da luminosidade na produção de biomassa bem como no teor de alguns nutrientes em folhas de Ilex paraguariensis. Este trabalho teve por objetivo avaliar a produção de biomassa da parte aérea da Ilex paraguariensis A. St. Hil. (ramos e folhas) e o teor de nitrogênio, potássio, fósforo, cálcio, magnésio e ferro em folhas produzidas em dois sistemas de cultivos, consorciado com Pinus elliottii Engel. e solteiro, ao longo das estações do ano no município de Frederico Westphalen- RS. Os resultados mostraram que a produção de biomassa da Ilex paraguariensis (folhas + ramos) é maior no cultivo solteiro quando comparada ao consorciado, porém, quando comparados os dois sistemas de cultivo com relação aos teores de fósforo, mas principalmente cálcio, magnésio e ferro, observou-se uma variação pequena para as diferentes épocas do ano, o que indica uma atividade metabólica mais constante da planta de erva-mate sob uma condição mais sombreada, o que torna um importante fator na qualidade final do produto.


Palavras-chave


luminosidade; sistemas de cultivo; erva-mate.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRIOLO, J. L. et al. Curva crítica de diluição de nitrogênio da cultivar Asterix de batata. Pesq. Agropec., bras., Brasília, v.41, n.7, p.1179-1184, 2006

ATROCH, E. M. A. C. et al. Crescimento, teor de clorofilas, distribuição de biomassa e características anatômicas de plantas jovens de Bauhinia forficata Link. submetidas a diferentes condições de sombreamento. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 25, n. 4, p. 853-862, jul./ago. 2001.

CARVALHO, P. E. R. Espécies arbóreas brasileiras. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2003, v.1. 1039p.

COELHO, G. C. et al. Efeitos do sombreamento sobre a sobrevivência, morfologia e química da Erva- Mate. In: CONGRESSO SUL AMERICANO DA ERVA-MATE, 2., 2000, REUNIÃO TÉCNICA DO CONE SUL SOBRE A CULTURA DA ERVA-MATE, 2, 2000, Encantado. Anais.... Encantado: Evangraf, 2000, p. 396-399.

GLIESSMANN, S. R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: EDURGS/ UFRGS, 2000. 653p.

GUERRA, A. J.T.; SILVA, A. S.; BOTELHO, R. G. M. Erosão e conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007. 340 p.

IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura 2009, 2010. In: banco de dados agregados, sistema IBGE de recuperação automática SIDRA. Disponível em: . Acesso em: 27 de novembro de 2012.

KASPARY, R. Efeitos de diferentes graus de sombreamento sobre o desenvolvimento de plantas jovens de erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.). 1985. 54 f. Dissertação (Mestrado em Botânica) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

LEE, D. W. et al. Effects of irradiance and spectral quality on leaf structure and function in seedlings of two southeast Asian Hopea (Dipterocarpaceae) species. American Journal of Botany, Columbus, v. 87, p.447-455, abr. 2000.

MALUF, J. R. T. Nova classificação climática do Estado do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Agrometeorologia. Santa Maria, v.8, n.1, p.141-150, jan./abr. 2000.

MONTEITH, J. L. Climate and the efficiency of crop production en Britain. Proceedings of the Royal Society of London, London, v. 281, n. 980, p. 277-294, nov. 1977.

MONTEITH, J. L. Light distribution and photosynthesis in field crops.Annals of Botany, Oxford, v. 29, p. 17- 37, mar. 1965.

PES, L. et al. Comportamento da erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.,) em consórcio silvicultural. Ciência Florestal, Santa Maria, v.5, n.1, p.19-32, nov. 1995.

POLETTO, I. et al. Influência da inoculação de Fusarium spp. e níveis de sombreamento no crescimento e desenvolvimento da erva-mate. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 20, n. 3, p. 513-521 jul./set, 2010.

POORTER.L. Growth responses of 15 rain-forest tree species to a light gradient; the relative importance of morphological and physiological traits. Functional Ecology, Oxford, v. 13, p. 396-410, jun. 1999.

QUADROS, R. M. B.; REISSMANN, C. B.; ADOMSKI, M. I. Comparação dos teores de macro e micronutrientes em folhas de erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.), em ervais nativos sob condições de sombreamento e a céu aberto. In: REUNIÃO TÉCNICA DO CONE SUL SOBRE A CULTURA DA ERVA-MATE, 1., 1992, Porto Alegre. Anais....Porto Alegre: FAPERGS, 1992, p. 447-455.

RACHWAL, M. F. G. et al. Influência da luminosidade sobre a produtividade da erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.) aos quatro anos e quatro meses de idade sobre Latossolo Vermelho-amarelo Distrófico em São Mateus do Sul, PR: In: CONGRESSO SUL-AMERICANO DA ERVA-MATE, 1.; REUNIÃO TÉCNICA DO CONE SUL SOBRE A CULTURA DA ERVA-MATE, 2., 1997, Curitiba. Anais.... Curitiba, 1998, p.447-455.

RACHWAL, M. F. G. et al. Influência da luminosidade sobre os teores de macronutrientes e tanino em folhas de erva-mate (Ilex paraguariensis St. Hil.)In: II CONGRESSO SUL-AMERICANO DA ERVA-MATE, 2.; REUNIÃO TÉCNICA DO CONE SUL SOBRE A CULTURA DA ERVA-MATE, 2., 2000, Encantado. Anais... Encantado, 2000, p. 417-420.

ROTTA, E.; OLIVEIRA, Y. M. de. Cultivo da erva-mate – Distribuição geográfica, 2007. Disponível em: <(HTTP://www.sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Erva-mate>. Acesso 15 dezembro 2007.

SAS LEARNING EDITION. Getting started with the SAS Learning Edition. Cary, 2002. 200 p.

SHIBLES, R. M., WEBER, C. R. Interception of solar radiation and dry matter production by various soybean planting patterns. Crop Science, Madison, v. 6, n. 1, p. 55-59, ago. 1966.

SOARES, A. et al. Influência da luminosidade no comportamento de onze espécies forrageiras perenes de verão. Revista Brasileira de Zootecnia,v.38, n.3, p.443-451, mar. 2009.

SOUZA, J. L. M. et al. Teores de nutrientes foliares em plantas de erva-mate em função da posição e orientação geográfica da capa, em Guarapuava-PR. Scientia Agrária, Curitiba,v.9, n.1, p.49-58, 2008.

TEDESCO, J. M. et al. Análise do solo, plantas e outros materiais. 2. ed. Departamento de Solos, UFRGS, Porto Alegre. 1995. 174p.

THOMPSON, W. A.; HUANG, L. K.; KRIEDEMAN, P. E. Photosynthetic response to light and nutritions in sun-tolerant and shade tolerant rainforest trees. II Leaf Gas exchange an Coponent processes of Photosyntesis. Australian Journal of Plant Physiology, Canberra, v. 19, n. 1, p. 19-42, jan. 1992.

TILMAN, D. Plant Strategies and the Dynamics and Structure of Plant Communities. Princeton, New Jersey: Princeton University Press, 1988, 362 p.

TOLLENAR, M.; BRUULSEMA, T.W. Efficiency of maize dry matter production during periods of complete leaf area expansion. Agronomy Journal, Madison, v. 80, p. 580-585, jul./ago. 1988.

WALLACE, T. The diagnosis of mineral deficiences in plant by visual symptoms. London: Her Majesty‘s Stationery Office, 1961. 125 p.




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509814565

Licença Creative Commons