Parâmetros genéticos para a conservação de Hymenaea courbaril L. na Amazônia sul-ocidental

Susana Maria Melo Silva, Karina Martins, Antônio Gilson Gomes Mesquita, Lucia Helena de Oliveira Wadt

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/1980509813326

A perda de diversidade em regiões tropicais tem sido pauta em diversas discussões governamentais e não governamentais, com foco principalmente na fragmentação e destruição de ecossistemas naturais. No entanto, tomadas de decisões sobre a conservação de recursos genéticos precisam ser pautadas em parâmetros genéticos populacionais, especialmente para as espécies com interesse econômico que são alvo de maior interferência humana. Este trabalho teve como objetivo definir e avaliar parâmetros genéticos para a conservação de populações de jatobá (Hymenaea courbaril) na região sul-ocidental da Amazônia brasileira. A espécie é uma das que possuem madeira mais valiosa e é uma das mais intensamente exploradas na Amazônia brasileira. O estudo foi realizado em três áreas de florestas preparadas para a exploração madeireira, segundo plano de manejo sustentável. Calculou-se, com uso de oito locos de marcadores microssatélites, a diversidade genética, os estimadores para a conservação da espécie e a divergência entre as populações. As populações com menor densidade populacional (< 0,08 ind.ha-1) apresentaram maior diversidade genética e índice de fixação elevado. A população com maior densidade populacional (0,25 ind.ha-1) foi a que apresentou menor diversidade genética e ausência de endogamia. A Área Mínima Viável para conservação da espécie foi compatível com a realidade do local de estudo, com uma ressalva de uma das populações onde há necessidade de uma área muito maior em relação às demais. A divergência genética foi elevada (G’ST = 0,344) e as populações foram classificadas como Unidades Independentes para o Manejo.


Palavras-chave


conservação genética; diversidade genética; estratégias para conservação; </i>Hymenaea courbaril</i>

Texto completo:

PDF

Referências


BOYLE, T.J. Criteria and indicators for the conservation of genetic diversity. In: YOUNG, A.; BOSHIER, D.; BOYLE, T. (Eds.) Forest conservation genetics: principles and practice. Collingwood: CSIRO Publishing, 2000. cap.18, p.239-251.

BROOKFIELD, J. F.Y. A simple new method for estimating null allele frequency from heterozygote deficiency. Molecular Ecology. v. 5, p. 453 – 455, 1996.

CASTELLEN, M da S. Avaliação do estado de conservação de populações naturais de Jatobá (Hymenaea courbaril. L) por meio de análise de estrutura genética e correlação espacial. 2005. 104f. Tese (doutorado em ecologia) - Escolar Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba.

CHAPUIS, M-P.; ESTOUP, A. Microsatelite null alleles and estimation of population differentiation. Molecular Biology and Evolution, v. 24, n.3, p. 621-631, 2007.

CIAMPI, A. Y. et al. Isolation and characterization of microssatellite loco for Hymenaea courbaril and transferability to Hymenaea stignocarpa, two tropical species. Journal compilation, Jan. 2008.

CRESTE, S. et al. Detection of single sequence repeat polymorphisms in denaturing polyacrylamide. Gels by silver staining. Plant Molecular Biology Reporter, v.19, p. 299-306, 2001.

DAILY, G. C. et al. Countryside biogeography: Use of human-dominated habitats by the avifauna of southern Costa Rica. Ecological Applications, v. 11, p.1-13, 2001.

DICK, C.W. et al. Spatial scales of pollen and seed-mediated gene flow in tropical rain forest trees. Tropical Plant Biology 1: 20-33. 2008

DOYLE, J.J.; DOYLE, J. L. Isolation of plant DNA from fresh tissue, Focus, Rockville, v. 12, n. 1, p. 13-15, jan. 1987.

EL MOUSADICK, A.; PETIT, E. High level of genetic differentiation for allelic richness among populations of the argan tree (Argania spinosa) (L) endemic to moracco. Ther. Appl. Genetic, v, 92, p. 832-839, 1996.

FERREIRA, M. E.; GRATTAPAGLIA, D. Introdução ao uso de marcadores moleculares em análise genética. 3.ed. Brasília: Embrapa – Cenargen, 1998. p. 220.

FRANKLIN, I. R. Evolutionary changes in small population. In Soulé, M.E.; Wilcox, B. A. (Eds) Conservation Biology : an evolutionary – ecological perspective. Sunderland: Sinauer, p .135-149. 1980.

FRANKEL, O.H.; BROWN, A.H.D.; BURDON, J.J. The conservation of plant biodiversity. Cambridge University Press, Cambridge, U.K. 299p.1995.

FRANKHAM, R. et al. Fundamentos de Genética da Conservação, Ribeirão Preto, SP: SBG (Sociedade Brasileira de Genética). 2008. 280p.

FRAZER, D.J.; BERNATCHEZ, L. Adaptive evolutionary conservation: towards a unified concept for defining conservation units. Molecular Ecology, Oxoford, n.10, p, 2741-2752, 2001.

GOODMAN, S.J. RSTCalc: a collection of computer programs for calculating estimatives of genetic differentiation from microsatellite data and determining their significance. Molecular Ecology, v.6, n.9, p.881-885, 1997.

GOUDET, J. FSTAT Version 1.2: a computer program to calcule Fstatistics. Journal of Heredity, v. 86, n. 6, 485-486, 1995.

HEDRICK, P. W. A standardized genetic differentiation measure. Evolution, Lancaster, v. 59, n. 8, p. 1633-1638, 2005.

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Instrução normativa, Lei n° 11.284/2006. Disponível em:http://www.ibama.gov.br/recursos-florestais/wp-content/files/038-IN0002-100806.pdf. Acesso em julho de 2010.

JAIN, S.K. Genetics and demography of rare plants and patchly distributed colonizing species. In: V. Loeschcke, J. Tomiuk and S.K. Jain (eds) Conservation Genetics. Birkhauser Verlag, Basel. 1994.

KAGEYAMA, P. et al. Conservation of Mata Atlântica forest fragments in the State of São Paulo, Brazil. In: VINCETI, B.; AMARAL, W.; MEILLEUR, B. (Org.). Challenges in managing forest genetic resource for livelihoods: examples from Argentina and Brazil. Roma: IPGRI, p. 149-217. 2004.

LACERDA, A. E. B. de. et al. Long-pollen Movement and Deviation of Random Mating in a Low-density Continuous Population of a Tropical Tree Hymenaea courbaril in the Brazilian Amazon. Biotropica, v.40, n.4, p.462-470, 2008a.

LACERDA, A. E. B. de. et al. Effects of reduced impact logging on genetic diversity and spatial genetic estructure of a Hymenaea courbaril population in the Brazilian Amazon Forest. Forest Ecology and Management, v.255, p.1034-1043, 2008b.

LEWIS, P. O.; ZAYKIN, D. Genetic Data Analisis: Computer program for the analysis of allelic data. Version 1.0 (d 15). Free program distributed by the authors over the internet from de GDA homepage at http:// alleun.eeb.uconn.edu/gda/2002.

MORENO, M. A. Estrutura genética e diversidade clonal de Jatobá-do-Cerrado (Hymenaea stiginicarpa Mart. ex Hayne) em duas populações no Cerrado do Estado de São Paulo. 115f. 2009. Dissertação (Mestrado em Recursos Florestais) - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2009.

NAMKOONG, G. et al. Criteria and indicators sustainable forest management: assessment and monitoring of genetic variation. Roma: FAO, 2002. 29p.

NEI, M. Molecular evolutionary genetics. New York: Columbia University press, 1987. 512p.

OOSTERHOUT, C. V. et al. MICRO-CHECKER: solftware for identifying and correcting genotyping errors in microsatellite data. Molecular Ecology. v.4, p. 535-538, 2004.

PASBOLL, P. J.; BÉRUBÉ, M.; ALLENDORF, F. W. Identification of management units using population genetic data. Trends in Ecology e Evolution, Amsterdam, v. 22, n.1, p. 11-16, 2007.

PRIMACK, R. B.; RODRIGUES, E. Biologia da conservação. Londrina: planta, 2001. 327p.

RAJORA, O. P. et al. Microssatellite DNA analysis of genetic effectis of havesting in old-grouth eastern white pine ( Pines strobus) in Ontario, Canada. Molecular Ecology, v. 9, p. 339-348, 2000.

SEBBENN, A. M. Tamanho efetivo para conservação ex situ de espécies arbóreas com sistema misto de reprodução. Revista do Instituto Florestal. v. 15, n. 2, p. 147-162, 2003.

SEBBENN, A. M.; SEOANE, C. E .S. Estimativa do tamanho efetivo de endogamia por marcadores moleculares genéticos. Revista Árvore, Viçosa, v. 29, n.1, p.1-7, 2005.

SLATKIN, M. A measure of population subdivision baseado n microssatellite allele frequencies. Genetics, Austin,v.130, p. 457-462, 1995.

TELLES, M. P. C. Diversidade genética e estrutura populacional de Cagaiteira (Eugenia dysenterica DC.) do sudoeste de Goías. 2000. 63f. Tese (doutorado) – Escola de Agronomia, Universidade Federal de Goiás, Goiânia.

TOLEDO, R. M de. Modelagem espacial do fluxo gênico de sementes de Jatobá (Hymenaea courbaril), através de marcadores moleculares, na paisagem fragmentada do Pontal do Paranapanema, SP. 2005. 73f. Dissertação (dissertação em ecologia de agroecossitemas) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, São Paulo, Piracicaba.

YOUNG, A.G. et al. The population genetic consequences of habitat fragmentation for plants. Trends in Ecology and Evolution 11 (10): 413-418. 1996.

YOUNG, A.G.; BOYLE, T.J. Forest fragmentation. In: A. Young, D. Boshier, T. Boyle (eds). Forest conservation genetics: Principles and practice. CABI Publishing Wallingford, U.K. Pp. 123-134. 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509813326