Estrutura populacional e potencial de regeneração de Attalea phalerata Mart. ex Spreng. (Acuri)

Raquel Rejane Bonato Negrelle

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/1980509812356

Visando subsidiar o estabelecimento de planos de manejo sustentáveis para Attalea phalerata, apresenta-se resultado da avaliação da estrutura de uma população desta espécie e seu respectivo potencial de regeneração natural. Com base nos dados obtidos, avaliou-se a capacidade potencial de produção de frutos e óleo relacionada à área estudada. A pesquisa foi realizada em área (1 ha) representativa de Mata com Acuri Denso, localizada na RPPN SESC PANTANAL (Mun. Barão de Melgaço, MT, Brasil). Registrou-se 1164 indivíduos, sendo 462 representantes do estádio adulto reprodutivo e 209 representantes do estádio adulto imaturo. Em área amostral parcial (0,1 hectare) foram registrados 123 indivíduos incluídos no estádio jovem e 370 no estádio plântula. A população apresentou estrutura etária do tipo J-invertido, comum a populações estáveis que apresentam potencial de regeneração constante. A produtividade potencial imediata mínima detectada foi de aproximadamente 323 a 970 Kg ha-1 de óleo do mesocarpo e 370 a 601 Kg ha-1 de óleo de amêndoa. A produtividade imediata máxima seria de ca. 970 a 2910 Kg ha-1 de óleo de mesocarpo e 1109 a 1802 Kg ha-1 do óleo de amêndoa.


Palavras-chave


produto florestal não madeirável; manejo florestal; biodiesel

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXIADES, M.; SHANLEY, P. (eds.) Productos forestales, medios de subsistencia y conservacion. v. 3, America Latina. Indonésia: CIFOR, 2004. 499 p.

AUGSPURGER, C. K. Seed dispersal of tropical tree Platipodium elegans, and the escape of its seedlings from fungal pathogens. Journal of Ecology, Milton Keynes, v. 71 p. 759-771, 1983.

BALSLEV, H. e MORAES, M. Sinopsis de lãs palmeras de Bolivia. AAU Reports, Whasington, v.20, p.1-107, 1989.

BARRETO, A.C. et al. Potencialidade do óleo de amêndoas de uricuri (Attalea phalerata Mart. Ex Spreng) na produção de biodiesel In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE QUÍMICA,31, 2008, Águas de Lindóia – SP. Anais.... Sociedade Brasileira De Química, 2008. p. 1.

BEIRIGO, R.M. et al. Solos da Reserva Particular do Patrimônio Natural SESC Pantanal. Rio de Janeiro: SESC, Dep. Nacional, 2011. 76 p.

BREIER, T. B., GUIMARÃES, P. R., CAMARGO, G. O gado influencia a densidade de plântulas do acuri Scheelea phalerata (Mart.) (Arecaceae)? In: CAMARGO, G. et al. Ecologia do Pantanal: Curso de Campo Campo Grande: Oeste, 2001. p. 157-158

CÁRDENAS, M. Manual de plantas econômicas de Bolivia. La Paz: Los Amigos del Libro, 1989. 410 p.

CHAPIN III, F. S. et al. Plant responses to multiple environmental factors. BioScience, Washington, DC, v. 3 n 1 p. 49-57, 1987.

CLARK, D. B.; CLARK, D. A. The impact of physical damage on canopy tree regeneration in Tropical Rain Forest. Journal of Ecology, Milton Keynes, v. 79 p. 447-457, 1991.

DELUCCA D., M.; ZALLES A., J. Flora medicinal boliviana. Diccionario enciclopédico. La Paz: Los Amigos del Libro, 1992. 386 p.

DORNELES, L. P. P.; NEGRELLE, R. R. B. Aspectos da regeneração natural de espécies arbóreas da Floresta Atlântica. Heringia, Sér. Bot., Porto Alegre, v. 53, p. 85-100, 2000.

ENRIGHT, N. J.e WATSON, A. D. Population dynamics of the nikau palm, Rhopalostylis sapida (Wendl. Et Drude), in a Temperate forest Remnant Near Auckland, New Zeland. New Zeland Journal of Botany, New Zeland, v. 30, p. 29-43, 1992.

FERREIRA, F. F. et al. Efeito de um gradiente de umidade na riqueza de espécies associadas a Attalea phalerata (Mart.) Palmae. In: CAMARGO, G. et al. Ecologia do Pantanal: curso de campo. Campo Grande: Oeste, 2001. p. 40-43

FINOL, H. O. Nuevos parámetros a considerarse en el analisis estrutural de las selvas virgenes tropicales. Revista Forestal Venezoelana, v. 14, n. 21, p. 29-42, 1971.

GUARIM NETO, G. Biodiversidade do ecossistema pantaneiro: a vegetação do Pantanal. In: 2o Congresso Nacional sobre Essências Nativas – Anais. São Paulo: 1992. p.106-110.

HALL, P.; BAWA, K. Methods to assess the impact of extraction of non-timber Tropical Forest products on plant populations. Economic Botany, New York, v. 47 n 3 p. 234-247,1993.

HAMILTON, S. K.; SIPPEL, S. J.; MELACK, J. M. Inundation patterns in the Pantanal wetland

of South America determined from passive microwave remote sensing. Archiv für Hydrobiologie,

Stuttgart, v. 137, p. 1-23, 1996.

HARPER, J. L. Population biology of plants. London: Academic Press, 1981. 892 p.

HOFMANN, G.S. et al. O clima na Reserva Particular de Patrimônio Natural SESC Pantanal. Rio de Janeiro: SESC, Departamento Nacional, 2010. 84 p.

KREBS, C.J. Ecologycal methodology. New York: Lybrary of Congress, 1989. 654p.

LIMA, E. S. Diversidade estrutura e distribuição espacial de palmeiras em uma comunidade de Cerrado senso stricto, na fazenda Água Limpa (FAL), Distrito Federal. 2001. 43 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) Universidade de Brasília, Brasília.

LIMA Jr., G.A. Distribuição espacial da população de Attalea phalerata (Mart. ex. Spreng), e a relação com o solo em uma floresta estacional decidual no pantanal de Barão de Melgaço, MT, Brasil. In: CONGRESSO DE ECOLOGIA DO BRASIL, 8., 2007. Anais ...p.1-2.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. São Paulo: Plantarum, 1992. 352 p.

LORENZI, H. et al. Palmeiras no Brasil. São Paulo: Plantarum, 1996. 303 p.

LORENZI, G. M. A. C. Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. ex Mart. (Arecaceae): bases para o extrativismo sustentável. Curitiba: 2006, 173f. Tese. Programa de Pós-graduação em Agronomia, Universidade Federal do Paraná.

MARINI, M. A.; CAVALCANTI, R. B. Influência do fogo na avifauna do sub-bosque de uma mata de galeria do Brasil central. Revista Brasileira de Biologia, Rio de Janeiro, v. 56, n. 3, p. 749-754, 1996.

MARQUES, M. C. M.; JOLY, C. A. Estrutura e dinâmica de Calophyllum brasiliense Camb. em floresta higrófila do sudeste do Brasil. Revista Brasileira de Botânica, São Paulo, v. 23. n. 1, p. 107-112, 2000.

MATOS, D. M. da S. Population ecology of Euterpe edulis Mart. (Palmae). Norwich, 1995 187f . Tese (Doutorado) – University of East Anglia, U.K, 1995.

MORAES R. M. Ecologia y formas de vida de las palmas bolivianas. Ecologia en Bolivia, La Paz, v.13, p.33-45. 1989.

MORAES R., M. Palmae. In: KILLEEN, T J. et al. (eds.) Guía de arboles de Bolivia. La Paz: Herbario Nacional de Bolivia-Missouri Botanical Garden, 1993. p. 612-628.

MORAES R., M. et al. Notes on the biology and uses of the motacú palm (Attalea phalerata, Arecaceae) from Bolivia Economic Botany, California, v. 50, n. 4, p. 423-428, 1996.

MOSTACEDO, B.; FREDERICKSEN, T.S. Regeneration status of important tropical forest tree species in Bolívia: assessment and recommendations. Forest Ecology and Management, Amsterdam, v. 124, p. 263-273, 1999.

NASCIMENTO, V. L. A et al. Utilização de frutos de acuri (Attalea phalerata Mart. ex Spreng) por cutias (Dasyprocta azarae) no Pantanal da Nhecolândia. In: SIMPÓSIO SOBRE RECURSOS NATURAIS E SÓCIO-ECONÔMICOS DO PANTANAl, 4., 2004, Corumbá/ MS. Anais... Corumbá, 2004. p. 1-7.

NIMER, E. Geografia do Brasil: Região Centro-Oeste. Rio de Janeiro: IBGE, 1989. 421 p.

OLMOS, F. Tapirs as seed dispersers and predators. In: BROOKS, D. M. et al. (eds.). Tapirs-Status survey and conservation action plan. Switzerland: IUCN/SSC Tapir Specialist Group, 1997. p. 3-9.

OLMOS, F. et al. Do tapirs steal food from palm seed predators or give them a lift? Biotropica, St. Louis, v. 31, n. 2, p. 375-379, 1999.

PINARD, M. Impacts of stem harvesting on populations of Iriartea deltoidea (Palmae) in a extractive reserve in Acre, Brazil. Biotropica, St. Louis, v. 25, n. 1, p. 2-14, 1993.

PORTELA, R. C. Q. et al. Padrões de distribuição espacial de Attalea phalerata Mart. e Ficus spp em três capões da fazenda Xaraés. In: CAMARGO, G. et al. Ecologia do Pantanal: curso de campo. Campo Grande: Oeste, 2001. p 49-52

POTT, A., POTT, V. Plantas do Pantanal. Corumbá: EMBRAPA, 1994. 320 p.

QUEIROZ, J. A. L.; MOCHIUTTI, S. Guia prático de manejo de açaizais para produção de frutos. Macapá: EMBRAPA Amapá, 2001. 24 p.

REIS, A. et al. Demografia de Euterpe edulis Mart. (Arecaceae) em uma floresta Ombrófila Densa Montana, em Blumenau (SC). Sellowia, Itajaí, v. 45, p. 05-37, 1996.

SANTOS, G.B. et al. Artrópodos associados à copa de Attalea phalerata Mart. (Arecaceae), na região do Pantanal de Poconé, Mato Grosso, Brasil. Revista Brasileira de Entomologia, v. 47, n. 2, p. 211-224, 2003.

SILVERTOWN, J. W. Introduction to plant population ecology. 2nd ed. London: Longman, 1987. 209 p.

TEIXEIRA, L. C. Potencialidades de oleaginosas para produção de biodiesel. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 26, n. 229, p. 18-27, 2005.

TERBORGH, J. Keystone plant resources in the tropical forest. In: SOULÉ, M. E. (ed.) Conservation Biology: the science of scarcity and diversity. Sunderland: Sinauer Ass., 1986. p. 33-44.

TONETTI, E. L.; NEGRELLE, R. R. B. Estrutura da população de Euterpe edulis Mart. (Arecaceae) na Floresta Ombrófila Densa das Terras Baixas. Cadernos de Biodiversidade, Curitiba, v. 3, n. 2, p. 43- 65, 2002.

TROPICOS Missouri Botanical Garden. Attalea phalerata Mart. ex Spreng. Disponível em: <(www.tropicos.irg)> Acesso em: 16 de maio de 2011.

VOLPATO, M. M. L. Regeneração natural em uma floresta secundária no Domínio Mata Atlântica; uma análise fitossociológica. 1993. 123 f. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 1993.

YOUNG, D. R.; SMITH, W. K. Influence of sunflecks on the temperature and water relations of two understory congeners. Oecologia, Germany, v. 43, p.192–205, 1979.




DOI: https://doi.org/10.5902/1980509812356

Licença Creative Commons