Sombreamento e substratos na produção de mudas de Erythrina velutina Willd.

Laércio Wanderley dos Santos, Maria de Fatima Barbosa Coelho

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/1980509812341

Erythrina velutina Willd. (Fabaceae) é utilizada na medicina tradicional do nordeste brasileiro por suas propriedades sudorífica, calmante, emoliente, peitoral e anestésica local. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de diferentes substratos e sombreamento na produção de mudas de Erythrina velutina. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, em esquema fatorial 5 x 2 (cinco substratos e dois sombreamentos), com quatro repetições e 10 plantas na parcela. Os substratos foram arisco, arisco + esterco bovino 2:1 v/v, arisco + esterco bovino 3:1 v/v, areia + esterco bovino 2:1 v/v e areia + esterco bovino 3:1 v/v. Os sombreamentos foram pleno sol (0% de sobreamento) e 50% de sombreamento. As características avaliadas foram o diâmetro do coleto, altura, área foliar, biomassa verde e seca das raízes e da parte aérea, relação altura/diâmetro e índice de qualidade de Dickson. Não houve diferença significativa para o diâmetro entre os diferentes substratos. O ambiente a pleno sol favoreceu o diâmetro e a biomassa das raízes, enquanto a altura foi favorecida pelo ambiente sombreado. Os substratos com esterco bovino curtido em sua composição favorecem o desenvolvimento das plantas de Erythrina velutina. Mudas de maior qualidade são produzidas a pleno sol e no substrato arisco + esterco bovino curtido na proporção 2:1.


Palavras-chave


plantas medicinais; propagação; matéria orgânica; Caatinga

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, L. P. et al. Crescimento inicial de plantas de Cryptocaria aschersoniana Mez. submetidas a níveis de radiação solar. Ciência Rural, Santa Maria, v. 34, n. 1, p. 83-88, 2004.

ARF, O. et al. Efeitos da época de semeadura da mucuna preta (Stizolobium aterrimum) e lablab (Dolichos lab lab) intercalados na cultura do milho (Zea mays). Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 24, n. 4, p. 898-904, 2000.

BARDIVIESSO, D. M. et al. Diferentes substratos e recipientes na produção de mudas de guabiroba (Campomanesia pubescens O.Berg). Revista Científica Eletrônica de Agronomia, Garça, v. 18, n. 1, p. 52-59, 2011.

CARMO FILHO, F.; OLIVEIRA, O. F. Mossoró: um município do semi-árido nordestino, caracterização climática e aspecto florístico. Mossoró: ESAM, 1995. 62 p. (Coleção Mossoroense, série B).

CARNEIRO, J. G. A. Produção e Controle de Qualidade de Mudas Florestais. Curitiba: UFPR/FUPEF, 1995. 451 p.

CAVALCANTE, T. R. M. et al. Diferentes ambientes e substratos na formação de mudas de araticum. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 30, n. 1, p. 235-240, 2008.

CFSEMG. Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais, Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais, 5a aproximação, Lavras, 1999. 359 p.

COSTA, D. M. A.; DANTAS, J. A. Efeitos do substrato na germinação de sementes de amaranto (Amaranthus spp). Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 40, n. 4, p. 498-504, 2009.

DICKSON, A. et al. Quality appraisal of white spruce and white pine seedling stock in nurseries. Forestry Chronicle, v. 36, p. 10-13, 1960.

FACHIM, E.; GUARIM, V. L. M. S. Conservação da biodiversidade: espécies da flora de Mato Grosso, Acta Botânica Brasílica, Feira de Santana, v. 9, n. 2, p. 281-302, 1995.

FERNANDES, P. D. Análise de crescimento e desenvolvimento vegetal. Campina Grande: UFPB, Departamento de Engenharia Agrícola, 2000. 22 p.

GOMES, J. M. et al. Parâmetros morfológicos na avaliação da qualidade de mudas de Eucalyptus grandis, Revista Árvore, Viçosa, v. 26, n. 6, p. 655-664, 2002.

GOMES, J. M.; PAIVA, H. N. Viveiros florestais (propagação sexuada). Viçosa: Editora UFV, 2004. (Caderno didático, 72).

GRANT, C. A. et al. A importância do fósforo no desenvolvimento inicial da planta. Informações Agronômicas, v. 95, n. 5, p. 1-5, 2001. Disponível em: http://www.ipni.org.br/ppiweb/brazil.nsf/87cb8a98bf72572b8525693e0053ea70/d5fbc829a2f54298832569f8004695c5/$FILE/Page1-5-95.pdf Acesso em: 07/02/2012.

HUNT, G. A. Effect of stryrblock design and Cooper treatment on morphologhogy of conifer seedlings. In: TARGET SEEDLINGS SYMPOSIUM MEETING OF THE WESTERN FOREST NURSERY ASSOCIATIONS, Rosenberg, 1990. Proceedings. Fort Collins: United States Department of Agriculture, Forest Service, 1990. p. 218-22.

LACERDA, M. R. B. et al. Características físicas e químicas do substrato à base de pó de coco e resíduos de sisal para a produção de mudas de sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia Benth). Revista Árvore, Viçosa, v. 30, n. 2, p.163-170, 2006.

LARCHER, W. Ecofisiologia Vegetal. São Carlos: RIMA, 2000. 532 p.

LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas. Nova Odessa: Plantarum, 2008. 544 p.

MARROCOS, S. T. P. et al. Análise comparativa de métodos de estimativa de área foliar em beterraba. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentavel, Mossoró, v. 5, n. 5, p. 140-146, 2010.

MARTINS FILHO, S. et al. Diferentes substratos afetando o desenvolvimento de mudas de palmeiras. Ceres, Viçosa, v. 54, n. 311, p. 80-86, 2007.

MELO, R. R.; CUNHA, M. C. L. Crescimento inicial de mudas de mulungu (Erythrina velutina Wild,) sob diferentes níveis de luminosidade. Ambiência, Guarapuava, v. 4, n. 1, p. 67-77, 2008.

MEURER, E. J. et al., Fenômenos de sorção em solos. In: MEURER, E. J. Fundamentos de química do solo. Porto Alegre: GENESIS, 2004. p.73-99.

OLIVEIRA, A. B. et al. Pó de coco verde, uma alternativa de substrato na produção de mudas de berinjela. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 39, n. 1, p. 39-44, 2008.

RIBEIRO JUNIOR, J. I.; MELO, A. L. P. Guia prático para utilização do SAEG. Viçosa: Ed. Independente, 2009. 287 p.

SALCEDO, I. H.; SAMPAIO, E. V. S. B. Matéria orgânica do solo no Bioma Caatinga. In: SANTOS, G, A, et al. Fundamentos da matéria orgânica do solo: Ecossistemas tropicais e subtropicais. Porto Alegre: Gráfica Metrópole, 2008. p. 419-441.

SCALON, S. P. Q.; ALVARENGA, A. A. Efeito do sombreamento sobre a formação de mudas de pau-pereira (Platycyamus regnelli Benth). Revista Árvore, Viçosa, v. 17, n. 3, p. 265-270, 1993.

SIEBENEICHLEN, S. C. et al. Características morfofisiológicas em plantas de Tabebuia heptaphyilla (Vell,) Tol. em condições de luminosidade. Acta Amazonica, Manaus, v. 38, n. 3, p. 467-472, 2008.

SOULÉ, M.; KOHM, K. A. Research Priórites for Conservation Biology. Washington: Island Press, 1989. 98 p.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 4. ed, Porto Alegre: Artmed, 2009. 820 p.

WENDLING, I. et al., Características físicas e químicas de substratos para produção de mudas de Ilex paraguariensis St. Hil. Revista Árvore, Viçosa, v. 31, n. 2, p. 209-220, 2007.

XAVIER, A. et al. Silvicultura clonal: Princípios e técnicas.Viçosa: Ed. UFV, 2009. 272 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509812341

Licença Creative Commons