Os sistemas agroflorestais como alternativa econômica em pequenas propriedades rurais: estudo de caso.

Mário Jorge Campos dos Santos, Samantha Nazaré de Paiva

Resumo


Os Sistemas Agroflorestais (SAFs) constituem-se em uma alternativa de uso da terra para aliar a estabilidade do ecossistema visando à eficiência e otimização de recursos naturais na produção de forma integrada e sustentada. O objetivo deste estudo de caso foi avaliar a viabilidade econômica de um sistema agroflorestal localizado na região do Pontal do Paranapanema. O SAF em estudo é formada por espécies agrícolas: milho (Zea maiz), feijão guandu (Cajanus cajan), carioquinha, (Vigna unguiculata), preto (Phaseolus vulgaris) e mandioca (Manihot esculenta) com espécies florestais: Eucalyptus citriodora e Eucalyptus camaldulensis. A rentabilidade econômica do sistema foi mensurada, utilizando Valor Presente Líquido (VPL), Razão Benefício/Custo (RB/C) para as culturas agrícolas anuais e Valor Esperado da terra (VET) para os componentes madeireiros. Para tais cálculos foi escolhida uma taxa de desconto de 6%. O estudo demonstrou que o sistema agroflorestal apresentou rentabilidade econômica positiva, e que podem ser adotados por pequenos produtores. Assim, pode-se concluir que os sistemas agroflorestais são economicamente viáveis para pequenos produtores rurais trabalhando nas mesmas condições apresentadas neste estudo.


Palavras-chave


sistemas agroflorestais; avaliação econômica; propriedades rurais

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, J. L Avaliação econômica de alternativas de financiamento da produção florestal no estado de Minas Gerais. 1993. 102p. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestal) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

ALMEIDA, M.V. C.; SOUZA, V.F.; COSTA, R. S. C.; VIEIRA, A.H.; RODRIGUES,A.N.A.; COSTA, J.N.M.; RAM,A.; SÁ, C. P.; VENEZIANO,W.; JUNIOR, R.S.M. Sistemas agroflorestais como alternativa auto-sustentável para o Estado de Rondônia. Porto Velho: PLANAFLORO; PNUD, 1995. 59p.

AZEVEDO FILHO, A. J. B. V. Elementos de matemática financeira e análise de projetos de investimento. Piracicaba: DESR/ESALQ, 1996. (Série Didática, 109). Disponível em: . Acesso em 1996.

BUDOWSKI, G. Aplicabilidad de los sistemas agroforestais In: SEMINÁRIO SOBRE PLANEJAMENTO DE PROJETOS AUTO-SUSTENTÁVEIS DE LENHA PARA AMÉRICA LATINA E CARIBE, 1991, Turrialba. Anais ... Turrialba: FAO,1991, v.1 p. 161-7.

DUBOIS, J. C. L. Manual agroflorestal para a Amazônia. Rio de Janeiro: Rebraf, 1996. v. 1.

KLEMPERER, W. D. Forest resource economics and finance. New York: Mcgraw Hill, 1996. 437p.

LIMA JUNIOR, V. B. Determinação da taxa de desconto para uso na avaliação de projetos de investimento florestal. 1995. 90p. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

OLIVEIRA, A. D.; MACEDO, R. L. G. Sistemas agroflorestais: considerações técnicas e econômicas. Lavras: MG, UFLA, 1996. 255p. (Projeto de consultoria).

PASSOS, C.A.M.; COUTO, L. Sistemas agroflorestais potenciais para o Estado do mato Grosso do sul. In: SEMINÁRIO SOBRE SISTEMAS FLORESTAIS PARA O MATO GROSSO DO SUL, 1., 1997, Dourados. Resumos ... Dourados: Embrapa-CPAO, 1997. p. 16-22. (Embrapa-CPAO. Documentos, 10).

RODRIGUEZ, L. C. E.; BUENO, A. R. S.; RODRIGUES, F. Rotações de eucalipto mais longas: análise volumétrica e econômica. Scientia Forestalis, n. 51, p. 15-28, jan. 1997.

SANTOS, M. J. C. Avaliação econômica de quatro modelos agroflorestais em áreas degradadas por pastagens na Amazônia Ocidental. 2000. 75p. Dissertação (Mestrado) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba.

THUESEN, H. G.; FABRYCKY, W. J.; TAVESEN, G. J. Ingenieria económica. Madrid, 1991. 592p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050981707