Histórico do periódico

A Animus, Revista Interamericana de Comunicação Midiática, foi criada em 2002 pelo Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria, através de seu núcleo de Editoração Multimídia - NEdMídia. Desde então mantém sua peridiocidade de forma regular. Em 2005, com a criação do Programa de Pós-Graduação em Comunicação, passou a contar com uma equipe de consultores brasileiros e estrangeiros vinculada ao programa. Conta com editores convidados para edições especiais de dossiês. Desde 2008 passou a contar com apoio outro apoio institucional da UFSM através do Edital Pró-revistas. Em 2010 passou a ser elaborada no Pública, Laboratório de Pesquisa e Produção de Publicações Científicas. Desde 2012, possui a classificação B1 no Qualis-CAPES. Classificação mantida em 2014 e 2015.

O periódico do programa Animus. Revista Interamericana de Comunicação Midiática (Qualis B1) encontra-se em fase conversão de seus conteúdos para os idiomas Inglês e Espanhol, ademais das funcionalidades em outros idiomas já disponibilizadas pela plataforma SEER (https://periodicos.ufsm.br/animus). Criado em 2002, em 2016 atingiu sua 30a. edição e 15 volumes, contabilizando 15 anos de existência. Todas suas edições encontram-se disponíveis on line. Criou-se a seção Comunicação e indústria criativa, dando conta da nucleação produzida com o credenciamento com o Mestrado profissional da Unipampa de mesmo título e sob direção de Marcela Guimarães Martins, professora daquela universidade. Animus conta com apoio da Pró-reitoria de Pós-graduação e pesquisa da UFSM, através do Edital Pró-Publicações em todo o período do quadriênio 2013-2016. Os recursos proporcionaram o uso de um software antiplágio, facilitando a atividade dos pareceristas. Financiam, igualmente, a atividade de dois bolsistas que atuam na divulgação de Animus, gerando altmetrics a partir da circulação dos conteúdos nas mídias sociais. A geração dessas métricas alternativas visa promover a difusão de conteúdos científicos, aproximando os públicos da produção científica em humanidades e, especialmente, na Comunicação. Atualmente conta com 31 membros no Conselho Editorial, procedentes de diversas universidade brasileiras e estrangeiras, como por exemplo, universidades da Espanha, da França, da Argentina, do Paraguai e do Uruguai. Além disso, conta com cerca de 250 avaliadores também de diversas universidades brasileiras e estrangeiras que, frequentemente, colaboram com a revista. Os artigos de Animus contam com o DOI, um sistema de identificação numérica que facilita a busca de qualquer texto, em nível global, no ambiente digital. Há um esforço de conceder DOI inclusive às edições passadas. A partir de 2016, passa a utilizar também o ORCID, também um sistema de identificação numérica relacionado ao pesquisador. Animus encontra-se indexada em bases como Redalyc, Sumários.Org, DOAJ, Georgetown University Library, Redalyc e MIAR.Estamos empenhados em concretizar a indexação em Scopus e JCR.

A Revista Animus está indexada em Latindex, Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal, Georgetown University Library, SUMARIOS.ORG e PORTCOM – Portal de livre acesso à produção em Ciências da Comunicação.