Análise de um livro didático de língua portuguesa: concepções de aprendizagem subjacentes

Glivia Guimarães Nunes, Ariane Escobar Rossi

Resumo


Considerando as correntes behaviorista, cognitivista e sociocultural, o objetivo deste estudo é investigar a(s) concepção(ões) de aprendizagem subjacente(s) a um livro didático de língua portuguesa utilizado no ensino médio. Esse material é organizado em três blocos (Literatura, Gramática e Redação e Leitura), de modo que analisamos linearmente o primeiro capítulo de cada uma das partes (organização, textos, atividades, etc.). Resultados evidenciaram a predominância da perspectiva cognitivista de aprendizagem, pois a organização dos capítulos e as atividades propostas requerem, muitas vezes, o desenvolvimento de habilidades cognitivas do aluno, enfatizando leitura, interpretação, produção textual e relacionando aspectos gramaticais ao seu sentido no texto.

Palavras-chave


Concepções de aprendizagem. Língua Portuguesa. Livro didático.

Texto completo:

PDF

Referências


AEBERSOLD, J. A; FIELD, M. L. From reader to reading teacher. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

AMARAL, E.; PATROCÍNIO, M. F. do.; LEITE, R. S.; BARBOSA, S. A. M. Novas Palavras: 3º ano. 2. ed. São Paulo: FTD, 2013.

BROWN, D. H. Teaching reading. In: BROWN, D. H. Teaching by principles: an interactive approach to language pedagogy. 2 ed. New York: Longman, 2001. p. 298-331.

BUNZEN, C. Livro didático de língua portuguesa: um gênero do discurso. 2005. 170 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Federal de Campinas, Campinas, 2005.

CHOMSKY, N. A biolinguística e a capacidade humana. In: CHOMSKY, N. Linguagem e mente. São Paulo: Editora da UNESP, 2009. p. 311-332.

DAVIS, C.; SILVA, M. A. S. S. E.; ESPÓSITO, Y. Papel e valor das interações sociais em sala de aula. São Paulo: Cadernos de Pesquisa, 1989. p. 49-54.

FERREIRA, M. M. A perspectiva sócio-cultural e sua contribuição para a aprendizagem de língua estrangeira: em busca do desenvolvimento. Revista Intercâmbio. São Paulo: v. 21, p. 38-61, 2010.

FRIEDRICH, J. O aporte específico da escola. In: FRIEDRICH, J. Lev Vigotski - Mediação, aprendizagem e desenvolvimento: Uma leitura filosófica e epistemológica. Campinas: Mercado de Letras, 2012. p. 99-117.

LEGENDRE, M. Jean Piaget e o construtivismo na educação. In: GAUTHIER, C. TARDIF, M. A pedagogia: Teorias e práticas da Antiguidade aos nosso dias. Petrópolis: Vozes, 2010a. p. 395- 424.

_____. Lev Vygotsky e o construtivismo na educação. In: GAUTHIER, C. TARDIF, M. A pedagogia: Teorias e práticas da Antiguidade aos nossos dias. Petrópolis: Vozes, 2010b. p. 425- 446.

ROSSI, A. F. E. Recontextualização do discurso da ciência da linguagem em livros didáticos de língua inglesa: uma proposta de letramento científico. 2012. 137 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2012.

STAATS, A. W. Behaviorismo social: uma ciência do homem com liberdade e dignidade (traduzido por Antonio Ribeiro de Almeida). In: Arquivos Brasileiros de Psicologia. Rio de Janeiro: v. 32, n. 4. p. 97-116, out./dez. 1980.

STETSENKO, A.; ARIEVITCHL, I. Teaching. Learning and development: a post-vygotskian perspective. 2013. Disponível em: http://people.ucsc.edu/~gwells/Files/Courses_Folder/documents/StetsenkoArievitchPost-VygPerspect.pdf. Acesso em: 30 jul. 2016.

TERRA. M. O behaviorismo em discussão. 2010. Disponível em: http://www.unicamp.br/iel/site/alunos/publicacoes/textos/b00008.htm. Acesso em: 15 jun. 2015.

WALLACE, C. Critical reading in language education. New York: Palgrave Macmillan, 2003.

WATSON, J. Psychology as the behaviorist views it. Psychological Review. Washington: v. 101, n. 2, p. 248-253. 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1516849225507

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


                                              

 

Revista Qualis B4, área de Letras e Linguística, Classificações de Periódicos Quadriênio 2013-2016 (CAPES).