Adolescer de crianças infectadas por transmissão vertical do HIV: implicações para o cuidado de enfermagem

Thaís Silva de Souza, Ivone Evangelista Cabral, Cristiane Cardoso de Paula

Resumo


Objetivo: descrever as demandas sociais e de saúde das crianças que têm HIV/AIDS por transmissão vertical na transição da infância para a adolescência. Método: pesquisa com abordagem qualitativa de natureza descritiva, aprovada em Comitê de Ética (096/06-EEAN/UFRJ; 09/07-IPPMG/UFRJ; 36/07-HUGG/UNIRIO). As informações foram obtidas por meio de entrevista, com 11 crianças, entre 12-14 anos, que conheciam o diagnóstico. Foi desenvolvida análise de conteúdo temática. Resultados: foram identificadas as demandas sociais do adolescer: relacionamentos, atividades, convivência escolar, namoro; e as demandas de saúde do adoecer: revelação do diagnóstico, seguimento hospitalar, tratamento medicamentoso, preconceito, futuro. Conclusão: Diante do adolescer, a teoria psico-social do desenvolvimento de Erikson mostrou-se coerente às demandas sociais, porém não contempla as demandas da necessidade especial de saúde dessas crianças. O cuidado à saúde precisa contemplar o acompanhamento das crianças e suas famílias durante o desenvolvimento puberal e o processo de adoecimento.

Palavras-chave


Saúde do adolescente; Saúde da criança; Enfermagem pediátrica; Síndrome de Imunodeficiência Adquirida.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/217976923188